Pesquisar este blog

sexta-feira, 23 de julho de 2004

Nada na vida é exatamente como queremos, mas tudo tem um lado bom, por isso vale a pena ter persistência, manter enquanto for possível.

domingo, 11 de julho de 2004

Modestia a parte, a foto que eu tirei hoje da nova ponte de BRasília, a Ponte JK, ficou "du piru"!!!

quinta-feira, 8 de julho de 2004

Eu estava pensando sobre o e-paper agora a pouco, o papel eletrônico, que começa a ficar cada vez mais convincente graças a lançamentos que estão tornado a leitura de textos em formato digital tão agradável quanto em papel convencional. Trata-se de algo muitíssimo falado, porém muitissimo desacreditado, mas que na minha opinião será uma das explosões de sucesso mais instantâneas da história da informática. Os e-papers convincentes estão chegando. Há alguns bons protótipos e um bom produto no mercado, o e-book da Sony. Mas parece que é bom só em tecnologia, porque a Sony só deixa ler os livros digitais que ela própria vende, e não parece ser um bom serviço de venda de e-books pelo que eu tenho lido na Internet. Mas quando um e-paper convincente e de preço acessível for lançado, permitindo ler qualquer tipo de arquivo texto, aí sim assistiremos a uma revolução realmente incrível. Porque? O "problema" é que arquivo texto já é algo super-pequeno, e portanto um livro inteiro pode ser baixado rapidamente pela Internet. Os micro-HDs que existem hoje já seriam capazes de guardar uma biblioteca inteira. Toda uma estante de livros em um dispositivo portátil, para ser levado aonde quiser. As vantagens de se manusear um livro digital em comparação com o livro em papel são óbvias. Com a facilidade de um search, um determinado título ou texto pode ser encontrado rapidamente, mesmo em uma vasta biblioteca. Copiar trechos dos textos e colar aonde quiser, marcar páginas, marcar textos para enfatizar trechos importantes, inserir comentários relacionados ao texto, tudo digitalmente. Essas serão outras facilidades que farão com que o e-book seja tão indispensável quanto o processador de texto, que anos atrás aposentou de vez a máquina de escrever. O e-paper que vem sendo anunciado mantém a imagem inclusive com o dispositivo desligado, indicando que se trata de uma "alteração física" na tela, que é o que garante uma visualização agradável aos olhos, como aquelas "lousas mágicas" famosas nos anos 80. Será várias vezes mais difícil para a indústria dos impressos controlar a pirataria do que é para a indústria musical. Cópias Xerox tem vários inconvenientes, mais ou menos da mesma forma que fitas K7, no entanto cópias digitais de textos simplesmente irão tornar o livro e a revista em papel convencional uma coisa ridícula.

quarta-feira, 7 de julho de 2004

A Microsoft não lança versão nova de sistema operacional e nem de browser faz vários anos. E Sistema operacional ao que tudo indica ainda irá demorar anos pra lançar outra versão. Enquanto isso a Apple já lançou 4 versões de seu Mac OS X desde 2001 e deverá lançar o Mac OS X Tiger um ano antes do Windows Longhorn da Microsoft. É aí que se percebe que o monopólio pode mesmo ser ruim. Como podem deixar a aplicação mais importante que existe atualmente no meu ver, o browser, sem atualizacao por tanto tempo? Esse é um dos motivos pelo qual estou usando o browser Mozilla Firefox, que tem dado o que falar por aí. Mas não é só pra pressionar a Microsoft. O fato é que o FireFox é melhor que o Internet Explorer 6. A começar pelo tabbed browsing, abas (ou orelhas, ou pastas, como preferir) que permitem organizar melhor a navegação em vários sites ao mesmo tempo. Apertando CTRL enquanto se clica um link, este é aberto em uma nova aba (tab) em background. O Firefox vem também com bloqueador de popup, o que já gerou uma reação da Microsoft, que lançou um add-on através da nova versão do MSN Messenger, que acrescenta um bloqueador de popups indesejados ao IE. Alias é nos "add-ons" -que no Firefox são chamados de Extensions- que o browser alternativo mostra sua força. A arquitetura totalmente aberta do Firefox -ele é open source- faz com que a disponibilidade de extensions seja bem grande, possibilitando adicionar diversas funções. Além disso, é um browser muito mais veloz, pelo simples fato de que aparentemente ele já vai mostrando a página desde as primeiras linhas de HTML lidas, ao invés de esperar um tempo para depois mostrar de uma vez como faz o IE em muitos casos. Além disso ele por enquanto está livre das brechas de segurança que o IE tem apresentado ultimamente. O maior problema que vi ser apontado pelas pessoas em foruns até o momento, com relação ao Firefox, é uma questão de puro costume: a barra de endereço se comporta de maneira um pouco diferente da a do IE, o que irrita alguns usuários. Mas isso em informática é meio inevitável, e as vezes é preciso se acostumar com novos jeitos de fazer velhas coisas, para que se possa evoluir em outras. Infelizmente esse é também o motivo, no meu ver, do monopólio que existe nesse mundo dos micros. As pessoas se acostumam com um produto e fica muito difícil mudar para outro. Tem também a questão da compatibilidade. O Firefox só está conseguindo alguma popularidade porque imitou o IE em tudo o que conseguiu imitar, aceitando até mesmo OCX por exemplo. Bom, é sensato dizer que, se é pra monopolizar, que esse monopólio seja de código aberto, assim não ficamos dependentes da boa vontade de uma empresa só. Quem me conhece um pouco provavelmente ficará surpreendido ao ler isso, pois eu sempre fui visto como "defensor da Microsoft". Na verdade eu sempre achei ela uma empresa como outra qualquer, apenas beneficiada por esse monopólio natural da informática que eu citei e que sempre acreditei existir, portanto a culpa não é dela. O OpenSource eu acho que funciona para algumas coisas mas para outras não. É difícil esperar que certas coisas mais "de peso" como sistemas operacionais de código aberto fiquem melhores que os concorrentes comerciais e/ou evoluam no mesmo ritmo que estes, simplesmente porque as pessoas precisam de dinheiro para viver. NO entanto softwares mais específicos como o browser por exemplo, acho que merecem sim uma boa alternativa em OpenSource, pois é mais fácil esperar que eles evoluam com a velocidade necessária para se tornarem realmente competitivos. E essa concorrencia do open-source é bem vinda principalmente quando novas versões do equivalente comercial começam a demorar anos para sairem, como é o caso do browser. Por isso mesmo acho muito bem vindo o Firefox, e Microsoft que se cuide. O endereço é http://www.mozilla.org/products/firefox/

segunda-feira, 5 de julho de 2004

Hoje eu topei na rua com uma estrela que no meu ver brilhou tanto ou mais que Ayrton Senna, em um local totalmente inusitado. Eu estava em uma lanchonete Bobs quase vazia tomando uma Vaca Preta de 500ml e de repente entrou lá Nelson Piquet. Engraçado que ninguem estava olhando para ele, acho que só eu o reconheci. Eu não resisti e fui confirmar com ele uma história que meu pai havia me contado uns tempos atras, que eu não posso revelar com exatidão pois é um pouco comprometedora. Digamos que supostamente eles dois já haviam feito uma "competição entre máquinas" aqui em Brasília ha muito tempo atrás. Eu fui simpático e normal com o Piquet, e ele também foi comigo. Muito legal! :-)

Futilidades públicas: Por muito tempo eu tentei matar pernilongos esmagando-os, o que sujava paredes e era muito difícil conseguir. Também não gosto de usar inseticidas. Outro dia descobri que basta dar um tapão de mão aberta neles enquanto voam pra eles caírem no chão. MAs é preciso aproveitar para esmagá-los de alguma forma, pois eles podem se recuperar e sair voando!!! 95% dos tapões derrubam os pernilongos. Em 50% dos casos eles conseguem incrívelmente se recuperar e voar novamente depois de alguns minutos.