Pesquisar este blog

sábado, 28 de agosto de 2004

Estou feliz :-) Eu que pensava que não ia passar no teste daquele coro mais exigente não só passei como fui elogiado :o) Muito bom estar participando deste coro pois o trabalho deles é realmente muito bom! :-) E minha vontade de aprender nunca foi tão grande :-) É isso aí. Quem sabe um dia você leitor me vê cantando em algum lugar por aí. Não sei ainda é o que eu vou fazer com relação ao outro coro que eu tinha entrado. Ficar nos dois? Não sei. Vou pensar. Ah, o tal coro que eu entrei agora é o Laugi. Muito bom ele!

sexta-feira, 27 de agosto de 2004

Voltei a participar de um coro! E dos grandes heheh. Agora faço parte do Coro Sinfônico da UnB, que tem centenas de pessoas :-) Ô saudade que eu tava de soltar a voz. Eu tava entre esse coro e um outro mais exigente, de uma qualidade um pouco mais profissional, mas esse fica pra quando eu me sentir mais preparado. Não desisti de fazer umas gravações em MP3 com a minha voz, mas está faltando um detalhe que tá difícil conseguir, mas um dia eu chego lá.

domingo, 22 de agosto de 2004

Pretendo sempre bloggar aqui coisas interessantes que encontro pela Internet a fora. Olha só essa, uma loja virtual aonde você desenha qualquer peça em um software de CAD, envia o desenho, e recebe a peça em plástico ou metal pelo correio: http://emachineshop.com/

quarta-feira, 18 de agosto de 2004

Qual é o segredo do Google? Essa é fácil: limpeza gráfica, simplicidade. Li por aí que o MSN Search e o Yahoo já são tão bons quanto o Google em matéria de resultados nas pesquisas, só que eu nem penso em usar nenhum dos dois, muito menos o MSN, simplesmente porque as páginas deles são cheias de coisas demais! O Google não tem banners nem imagens desnecessárias, apenas o pequeno logotipo na parte superior. Afinal o que importa é o conteúdo, algo que muita gente que trabalha com Web ainda não aprendeu, mas que eu pessoalmente já defendo faz tempo. Principalmente o webdesigner brasileiro é um grande defensor do uso intenso de Flash. Abertura em flash, menu em flash, tudo em flash. Sinceramente, os sites com muito flash são os que eu mais odeio. Na primeira visita muitas vezes é interessante aquilo, mas ter que aguentar a mesma abertura e efeitozinhos durante a navegação toda vez que visita o site não dá. "Mas você pode pular a apresentação". Olha, na informática em pouco tempo a gente aprende que ter que clicar em "pular a apresentação" toda vez que entra no site é motivo suficiente pra fazer com que muitos dos usuários não voltem mais. As pessoas querem é conteúdo, informação, da maneira mais rápida e ágil possível, na página principal de preferência. Eu não sou contra o Flash, mas acho que as pessoas o encaram da maneira errada. No meu ver o Flash é excelente para demonstrar um produto por exemplo, mas só quando o usuário realmente quiser e pedir para ver uma demonstração. Neste caso apareceria somente um texto descritivo do produto e talvez uma foto do mesmo, com um link ao lado escrito "ver uma animação em 3D deste produto". A-haaa! Aí sim abriria uma outra janela com a pesada animação mostrando a geringonça girando em 3D e com tudo mais que se tenha direito. A Web não é televisão. Isso já foi comprovado nas tentativas fracassadas de fazer o que se chamou de "push". Alguém lembra disso? As pessoas querem o "pull", ou seja, ver apenas aquilo que elas pedem para ver, e não aquilo que querem empurrar para elas. E viva a simplicidade e limpeza gráfica! Viva o Google!

sexta-feira, 13 de agosto de 2004

Entrei de vez pro mundo do Orkut. O melhor no Orkut é ir entrando devagarinho, porque precisa tempo pra fazer tudo. A primeira vista parece uma agência de namoro. Você tem que entrar toneladas de informações sobre si mesmo. Mas que bom que é tudo opcional, então dá pra digitar um pouco num dia, mais um pouco no outro, e assim vai. Depois você começa a encontrar velhos amigos, e, mais tarde, descobre as comunidades. Logo você se dará conta de que acessa o Orkut regularmente, como faz com email. No momento to participando de uma comunidade (que é parecido com forum) sobre coros de brasília. To vendo se volto a participar de algum...

quinta-feira, 12 de agosto de 2004

"Pirataria causa prejuizo de XXX milhões". To cansado de ver essa mentira nos jornais. Eles contam como se fosse certo que, caso não existisse pirataria, todo mundo que hoje compra pirata passaria a comprar o original, o que obviamente não é verdade. É claro que a maioria dos que compram pirata só o fazem justamente porque é pirata, logo, muito mais barato. Então essas estatísticas tinham que no mínimo prever isso, mas de acordo com especialistas de outros sites que tenho lido isso não acontece, pelo menos na maioria das pesquisas que apresentam por aí.

Quando começarem a combater a pirataria de software com o mesmo rigor com que governos autoritários censuram informações, finalmente o Linux ultrapassará o Windows no lado cliente. Isso não é hipótese, é certeza. Você duvida?

terça-feira, 10 de agosto de 2004

quinta-feira, 5 de agosto de 2004

Está inaugurado! Meu novo site de notícias sobre música em arquivo (MP3) em geral! http://musicaemarquivo.blogspot.com

Lá eu pretendo continuar o trabalho que vinha sendo feito na antiga CanalWMA.
Quero declarar aqui pela primeira vez o meu apoio ao sistema operacional de código aberto Linux. Estive pensando. A padronização sempre foi algo necessário na informática, e sempre foi disso que a Microsoft se aproveitou. Na década de 80 não havia padronização nem mesmo para o hardware. Haviam várias linhas de micros diferentes e incompatíveis entre si, e as empresas fabricantes de cada linha não permitiam que outras empresas copiassem o padrão. A Microsoft apostou no hardware de arquitetura aberta e padronizado. O MSX foi lançado por ela e parceiros no Japão com o propósito de mostrar essa necessidade de padronização ao mercado. Ela estava certa, e essa necessidade não é uma culpa da Microsoft mas sim da natureza do mercado. As pessoas querem rodar o mesmo software em casa, no trabalho e nos amigos. Quer poder abrir o documento que fez em casa no trabalho, ou vice-versa. Após o hardware se padronizar no PC, a excessão do herói da resistência Macintosh, a Microsoft continuou se aproveitando e apostando na necessidade de padronização, desta vez em relação ao software. Vários processadores de texto incompatíveis entre si apenas causam problemas, por isso todo mundo usa Word.

Ora, se na informática tem que haver padronização, que esse padrão seja aberto, para que várias empresas possam lançar suas próprias distribiuições, ao invés de ficar confinado a apenas uma única empresa. Por isso eu acho que o código aberto é a melhor saída, muito melhor do que uma empresa só controlando o mundo.

Vou fazer como a maioria dos que apoiam o Linux: apoiar mas não usar. Mas vou torcer para que um dia um sistema operacional open source, seja qual for, seja o padrão.

Quero falar também de algo que tem me irritado. A queda do host gratuito que abrigava meu site de WMA... Infelizmente ele está sendo vítima de um ataque DDOS. Eu puz um pequeno código ASP para gravar os IPs dos que iniciavam sessões no meu site e confirmei que se trata mesmo de um ataque. Agora só aparece "server busy". Vou ter que arrumar uma solução, talvez pagar um host com suporte a ASP, para poder ter de volta algo que já faz parte da minha vida que é atualizar um site de notícias sobre MP3. Talvez eu abra um blog de MP3... estou pensando...