Pesquisar este blog

sexta-feira, 10 de setembro de 2004

Ainda com relação a joguinhos a moda antiga mas com efeitos gráficos atuais, parece que estão virando moda. Este site tem centenas deles.

Pra mim a categoria dos jogos em 2D tem um "sabor" diferente que só eles proporcionam, e não acho que devam morrer. Outra coisa boa é que são pequenos então dá pra baixar um atrás do outro.

Não tenho nada contra os jogos de primeira pessoa mais atuais. Durante muito tempo fui um viciado em jogar Quake 1 e Quake 2 em multiplayer na Internet, e torço e acredito que um dia a realidade virtual vai deixar de ser só jogo pra virar a maneira padrão de se operar um computador.

Aproveitando o gancho, gostaria de comentar sobre a importância dos jogos. Sempre foram eles que ditaram o futuro das aplicações sérias do computador. O CD-ROM surgiu como "coisa de jogador de video-game". Na época dos primeiros kits multimídia, comprava-se drives de CD-ROM e placas de som com o intuito claro de jogar. A evolução dos gráficos do computador também se deu quase que exclusivamente em função dos jogos, desde a época em que se usava DOS, sem interface gráfica no sistema operacional. A aceleração 3D é a mais nova tecnologia feita inicialmente para jogos que irá se transformar em padrão para as aplicações sérias, como indica o anúncio da futura versão do Windows, o Longhorn, que rodará sob direct 3D.

Sei que muitos dirão que "ninguem precisa dessas frescuras", mas depois que estiverem usando ninguém conseguirá viver sem elas. Foi assim com tudo aquilo que antes era "coisa de jogador de videogame".

Nenhum comentário: