Pesquisar este blog

sábado, 31 de dezembro de 2005

Momento MAIS do ANO

Acabei não registrando aqui algo sobre o concerto de "estréia do Laugi", que foi, enfim, pelo que se viu nos comentários de vários dos participantes do coro, muito importante para todos nós. Independente de os nossos próximos shows serem assim ou não, aquele concerto já fez com que um dia tenha existido um grupo unido de pessoas fazendo as coisas irem para frente sem intrigas e picuinhas. Pessoas que, como disse a Luisinha, se levantaram por vontade própria para ajudar a montar o palco sem aquela ser a "função" delas. Pessoas que "trabalharam" para fazer o melhor possível para a platéia. "Pela música" como costuma dizer o Paulão. Ganhando em troca uma satisfação pessoal sem egocentrismos. Ou pelo menos graus bastante elevados de tudo isso.

Eu ganhei a vitória de estar participando daquilo ali, com aquelas pessoas talentosas ao redor. Essa minha vontade, o gosto pela coisa, foi despertado pelo amor que eu tive por uma mulher do meio, o que me leva a crer na autenticidade da minha participação.

Eu tive a certeza da realização desse sonho quando subi no "grid" para ajudar a montar o cenário do palco, obviamente um lugar do teatro que inspira muita reflexão.

E de quebra ouvi muitos elogios dos colegas do coro. Tantos que ficou até meio difícil de acreditar heheh... mas já ouvi dizer que artista é assim mesmo, nunca está satisfeito com sua própria performance.

Enfim, algo que obviamente marcou e foi muito importante.

Outro "momento mais" do ano foi o meu emprego atual. Eu entrei como "temporário" para ficar exatos 3 meses, junto com mais uns 10 na mesma situação. O contrato foi se prorrogando, prorrogando, os demais colegas foram (infelizmente, pois eram bons amigos todos os dias) saindo, e eu, no fim das contas, fui o único que realmente ficou para uma contratação definitiva! Enfim, toda a minha birra com relação ao "reconhecimento" que se dá ao bom profissional no Brasil se mostrou não tão correta assim, embora ainda seja correta. Mas radicalizar nunca é bom, fica essa lição. As vezes a gente insiste tanto em acreditar no pior que não dá espaço para algo bom acontecer.

Recebi muitos elogios pelo meu trabalho, algo que antes considerava "impossível" no mundo do desenvolvimento de sistemas de computador. E me tornei o responsável por um sistema, algo que almejava a muito tempo.

Posso dizer que esse ano colhi bons frutos do meu empenho.

É isso. A minha intenção inicial nesse post nem foi essa, mas acabei fazendo uma breve retrospectiva do meu ano em 2005.

Feliz 2006!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2005

Engraçado, cansei do campo "Quem sou eu" no Orkut. Eu vivo mudando e acho que nunca exibe bem quem eu sou. Coloquei "I am what I am", sob risco de ser taxado de gay, mas dane-se! :-) Pensei até em por uma observação "não sou gay", mas aí perderia o sentido da música, que é "need no excuses". Então, dane-se. Esse vai ser o meu novo "Quem sou eu" e pronto.

sábado, 17 de dezembro de 2005

Momento MAIS do dia: JAM Session! Foi 10!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2005

Momento MAIS do dia: indo pra confraternização de fim de ano de carona num jeep chumbado, ultrapassando a barreira dos meio-fios...

Só deu pena é de uma pequena árvore que estava no caminho...

Só tá começando o meu recesso de natal...

terça-feira, 13 de dezembro de 2005

Mais uma vantagem do software via Web

Durante os anos 90 eu apostava como tudo iria convergir para o computador e seus acessórios, o equipamento de som, a TV, o jornal, a fotografia, etc. E eis que saltamos dos beeps do speaker e fotos em 320x200 com 256 cores para a febre dos kits multimídia, INternet, MP3 e as câmeras digitais. Hoje nos anos 2000 a minha aposta é em tudo que já está dentro do computador ir para dentro da Internet, tal qual escrevi em 2002 nas minhas previsões, que podem ser lidas no meu blog, aonde eu cito as vantagens de se rodar aplicações via Web:

- Rodam a partir da Internet, não sendo necessário baixar nem instalar nada.
- Atualizações do software automáticas e transparentes para o usuário.
- Dados e configurações salvas no servidor, podendo ser acessados onde quer que se esteja.

Mas o motivo deste post é registrar mais uma vantagem que pensei hoje e que pode ser outro fator decisivo nessa tendência, e que pode talvez marcar o fim de muitos dos monopólios hoje encontrados no mundo da computação. A vantagem é que, com as aplicações rodando na Web, todo mundo já tem, digamos, "pré-instalados" em sua máquina, todos os softwares que rodam online. É o fim da pergunta "você tem tal software?". Tudo bem que muitos dos softwares online cobrarão taxas mensais para permitir seu uso, mas não haverão atritos para se rodar um equivalente gratuito, já que ele "já estará disponível" na máquina, basta abrir o browser e digitar o endereço, não precisando nem sequer baixar ou instalar nada. Se você escolher por exemplo usar uma hipotética versão online do OpenOffice, e seu documento só for compatível com o OpenOffice, poderá enviar o documento para quem quiser, sem se importar se a pessoa "tem ou não tem" o OpenOffice. Isso contrasta com a situação atual, aonde você é obrigado a criar o documento no Word por ser o único software que te dá a certeza de que o seu documento poderá ser lido e eventualmente alterado por todos, já que todo mundo tem Word. Será muito menos atrito para experimentar alternativas.

sábado, 3 de dezembro de 2005

Me arrependendo mais uma vez.
O erro seria melhor.
Mesmo com tantas flores vejo tempo ruim.
Preciso lembrar da frase.
Voltar a exagerar pois ainda está desequilibrado.
Voltar a exagerar.
Pensar nela também.

Bons sonhos.

quarta-feira, 30 de novembro de 2005

LAPRO


[Este post é constantemente atualizado]

Eis a primeira versão da minha própria linguagem de programação, LAPRO, voltada especialmente para iniciantes bem iniciantes mesmo. Ela tem "turtle graphics", tecnologia utilizada também na linguagem LOGO (aos desavisados: nem todo LOGO tem turtle graphics e turtle graphics não é exclusividade da linguagem LOGO) , mas possui algumas características um pouco mais poderosas encontradas em linguagens como BASIC. Encurtando: É mais fácil que BASIC e mais poderoso do que LOGO.

O Zip vem com dois exemplos de programas e um guia de referência rápida dos comandos.

Particularidades: Única linguagem que eu conheço que aceita nomes de variáveis com espaços!!! Totalmente em português!!! Instruções intuitivas que fazem você pensar que está realmente "dando ordens" ao computador!!!

O site para download é lento paca mas foi o que consegui até o momento. Se alguem puder me informar um file hosting SEM EXPIRAÇÃO POR NÚMERO DE DOWNLOADS que seja mais rápido que este eu agradeceria muito...

NOVIDADES

25/10/06
- Atualizado link para download do LAPRO, já que os outros dois tinham expirado... Agora está na GooglePages, hospedeiro provavelmente é muito mais estável.

28/1/06
- Atendendo a pedidos acrescentei um mirror para download do arquivo em http://www.megaupload.com/?d=AOAXTOK5 (ATUALIZAÇÃO: este link não funciona mais)
- Atenção: Quando o instalador pedir para reiniciar o computador, não reinicie, pois não é necessário. Apenas instale tudo o que ele disser que vai instalar.

8/12/05 - Nova versão beta 0.4

- Novo exemplo de uso. Um joguinho simples do tipo "Tron" aonde deve-se evitar colidir com o rastro deixado pela tartaruga. Use as teclas F e G para controlar a tartaruga.
- Documentação atualizada
- Barra de rolagem na tela de digitação de código
- Tamanho da tela de digitação de código pode ser ajustado a vontade, maximizado ou minimizado.
- Correção de bug na variável reservada "colisão", que agora funciona também com a caneta para cima.
- Nova instrução "Imprimir Tela" para imprimir a tela de saída na impressora.
- Corrigido bug na hora de salvar programas com o botão "Salvar".

4/12/05 - Nova versão beta 0.3

- Documentação atualizada
- Correção de bug na variável reservada tecla, que alias não tinha sido documentada.
- Agora há duas janelas no programa, uma para a saída e outra para o ambiente de desenvolvimento.
- Agora há a possibilidade de acompanhar a execução de um programa linha por linha.
- Um conveniente botão "Parar"

4/12/05 - Erro no guia de referência rápida: a variável reservada "colisão" não retorna o número da cor detectada mas sim verdadeiro ou falso se a tartaruga tiver ou não colidido com alguma linha ou a borda da tela, portanto poderia funcionar com a seguinte instrução:

Se colisão Faça Alertar "Bateu!!!"

Não documentado: O operador de DIFERENÇA, que em outras linguagens é != ou <>, no LAPRO é #

3/12/05 - Não documentado: Shift+Break para a execução de programas no LAPRO. Se estiver em meio a caixas de diálogo, mantenha Shift+Break pressionado enquanto clica o botão da caixa de diálogo.


Download LAPRO beta 0.4

segunda-feira, 28 de novembro de 2005

Papo nerd do dia

Fliperama... Matei muita aula nos anos 80 pra ir jogar Fliperama com colegas. Eu sempre preferi os jogos de vídeo aos de bolinha (pinball), mas não deixo de ter um pouco de nostalgia com relação a pinball também e, assim como volta e meia estou jogando MAME, adoro também os simuladores de pinball...

A maioria das pessoas conhecem aquele que vinha com o Windows, o Space Cadet, mas existem também os simuladores que imitam máquinas "de verdade", com os mesmos desenhos, sons e até emulação da ROM das mesas encontradas nos fliperamas.

O mais famoso simulador de pinball até hoje é o Visual Pinball, que permite construir sua própria mesa até com certa facilidade, clicando e arrastando as peças que compõem o jogo como bandeiras e "bumpers". O chato é que o desenvolvimento do Visual Pinbal simplesmente cessou. Desde muito tempo que não lançam mais versões novas dele.

Para preencher esse vazio surgiu o "Future Pinball", que além de ter as mesmas facilidades que o Visual Pinball para a construção das mesas, ainda tem efeitos visuais que dão incrível realismo como, por exemplo, os reflexos da bolinha e das peças da "maquina". No Future Pinbal é possível ver a mesa de vários ângulos em três dimensões e a dinâmica do jogo é bem mais evoluída que a do Visual Pinball.

Depois de muito jogar Future Pinball resolvi fazer um teste esses dias:
joguei pinball de verdade depois de anos sem jogar, e o resultado foi realmente surpreendente, pelo tempo que eu passei jogando. Certamente dá para viciar no simulador e depois jogar bem no de verdade.

quinta-feira, 24 de novembro de 2005

Ufa!

Concerto do coro da ANEEL amanhã -aonde alias tô tendo um bocado de trabalho-, concertão do Laugi domingo, arrumações pra viagem de férias... caraca oldest (by Paulão)... quanto compromisso no meu To Do... Enquanto isso minha casa tá ficando uma bagunça só! Massa!!! Tô vivendo

quarta-feira, 23 de novembro de 2005

Sistema operacional de Internet

Aí vai uma screenshot do meu Windows Live. Engraçado como se parece com as primeiras versões do Windows... (abaixo)


segunda-feira, 21 de novembro de 2005

CARACA OLDEST!!!

Depois de ver o RIDÍCULO filme "Sinais" na Globo -ridículo em TODOS OS SENTIDOS possíveis e imagináveis- eu pensei comigo mesmo "vou no imdb.com só pra rir dos comentários", já imaginando uma nota 3, algo assim. Pra minha surpresa esse filme tem uma nota 7 no imdb. Estou simplesmente inconformado. O que não faz o fanatismo!!! Só porque o ator é o Mel Gibson. NÃO TEM OUTRA EXPLICAÇÃO. Esse é um dos piores filmes que já vi na minha vida. Enrolação pura e um roteiro simplesmente ridículo. Previsível a cada cena. Efeitos igualmente ridículos. Cenário barato. E a morte do ET faz qualquer um sair do cinema xingando. Bom, pelo menos qualquer ser racional. E o mais engraçado foi ver que ele é classificado como "suspense" KUAKUAKUAKUA!!! Que meda que eu senti daquela mão mal feita e aquele ET levando porrada de um bastão de baseball!

sexta-feira, 11 de novembro de 2005

Dicas de fotografia

Dia de céu nublado... péssimo dia para tirar fotografias você pensa...

está completamente enganado!!!

Os dias de tempo fechado tem várias vantagens na fotografia e de fato na maioria dos casos chega a ser melhor que os dias ensolarados.

O que ocorre é que os dias de sol tem muito contraste. Quanto mais luz há sobre os objetos, mais sombra também aparece. Como a câmera fotometriza de modo a compensar o excesso ou ausencia de luz, o resultado são fotos com partes claras demais e partes escuras demais.

Já o mormaço produz sobre os objetos uma iluminação mais bem balanceada, sem muito brilho e também sem muita sombra. O resultado nas fotos é cores mais vivas e um brilho mais uniforme em todos os objetos que compõe a foto. Para os seus olhos está tudo meio escuro, mas a compensação da fotometria da câmera se encarrega de tornar a imagem mais brilhante.

O único grande problema das paisagens nos dias de tempo fechado é o céu. Nessas ocasiões evite que o céu saia nas fotos pois mesmo nublado ele certamente será muito mais brilhante que os demais objetos e portanto ou ficará todo branco ou deixará os objetos praticamente invisíveis de tão escuros, dependendo de aonde você focar, a não ser que se use um flash, caso que só servirá para objetos bem próximos.

Mas se você apontar somente para os objetos e não incluir o céu, o mormaço poderá proporcionar as melhores fotos da sua vida.

Não só as cores saem mais vivas e a iluminação mais uniforme como também se obtem mais do efeito de profundidade de campo, que costuma produzir resultados muito interessantes. Trata-se daquelas fotos com o assunto focado bem nítido mas com o plano de fundo desfocado, borrado. Quanto se tem a luz plena do sol a câmera tem que diminuir a abertura da lente assim como fazem seus olhos, enquanto que sob mormaço a câmera abre mais para permitir uma maior entrada de luz de modo a compensar a falta desta. Não me pergunte porque, pois não sou especialista em ótica, mas quando isso acontece se tem menor profundidade de campo. Experimente tirar macros de flores nos dias de tempo fechado e prepare-se para cores mais vivas e um belo efeito de fundo desfocado.

Então aproveite os dias de tempo fechado (mas sem chuva! não vá molhar a câmera!) e boas fotos!

Momento MAIS do dia: Estou desenvolvendo minha própria linguagem de programação. Trata-se de uma linguagem em parte baseada no LOGO, pois pretendo que venha a ter uma "tartaruga" na tela, mas com recursos de linguagens mais tradicionais. Acredito que seja uma das linguagens mais fáceis de se programar que existe e acho que pode ser bastante útil para iniciantes aprenderem facilmente a programar um computador. Tá sendo uma diversão e tanto pra mim! Veja abaixo a listagem de um joguinho de acertar o número de 1 a 100.

guardar aleatório 1 até 100 em número secreto
local volta
perguntar "Faça sua aposta de 1 a 100"
se resposta="" faça ir volta
se tipo de resposta#"numérico" faça ir volta
se resposta>número secreto faça alertar "O número é menor que isso"
se resposta<número secreto faça alertar "O número é maior que isso"
se resposta=número secreto faça ir acertou
guardar número de tentativas+1 em número de tentativas
ir volta
local acertou
alertar "Você acertou o número em " mais número de tentativas + 1 mais " tentativas!!!"
finalizar

Particularidades: Única linguagem que eu conheço que aceita nomes de variáveis com espaços!!! Totalmente em português!!! Instruções intuitivas que fazem você pensar que está realmente "dando ordens" ao computador!!!

Em breve vou disponibilizar o download :-)

domingo, 6 de novembro de 2005

Momento MAIS do dia: comprei um playerzinho de MP3 desses que agora estão vendendo que nem água por aí, que é também uma memory key. Ele vem com 1GB de memória, rádio FM, pode guardar todo tipo de arquivo, toca MP3 com excelente som, grava voz e rádio, e custa 350 reais. Super leve e pequeno, para ter o mesmo com CDs teria que carregar um discmanzão mais 20 CDs (+- 300 músicas). A portabilidade que experimentei no entanto foi inédita para mim: to dando uma arrumada na casa totalmente nu ouvindo o player pendurado no pescoço huahuahuahua. Esse é o mundo do MP3...

terça-feira, 1 de novembro de 2005

Momento MAIS do dia: O anúncio pela Microsoft de seus novos serviços pela Web, Windows Live e Office Live, que são mais passos numa clara transição para algo que eu defendi já no meu texto "Futurologia" em 2002, que é o software passar para dentro da Web. Conheça e comece a perceber as vantagens dessa nova era no mundo da informática.

domingo, 23 de outubro de 2005

Momento MAIS do dia: esse domingo foi um dia um tanto especial que eu não podia deixar de citar. Cantei em dois coros no mesmo encontro de coros. Muita gente conhecida. Muitas amizades reforçadas (espero). Me senti como nunca fazendo parte de um meio que, depois de uma certa namorada, eu passei realmente a querer fazer parte. Foram duas boas apresentações que considerei muito bem sucedidas. Eu senti como nunca que a minha participação teve peso no sucesso das apresentações. Ou será que eu to meio "estrela"? É bom balancear as coisas. Mas enfim... Missões sendo cumpridas... Vida sendo vivida... Avante, sempre! Desculpe o clichê.

domingo, 16 de outubro de 2005

Futurologia

texto escrito em 21 de março de 2002

Gostaria primeiramente de lembrar que é muito comum até mesmo o melhor dos analistas errar nas previsões. A idéia de fazer essas previsões surgiu quando li um exemplar da revista Byte de setembro de 1990, aonde vários nomes famosos, incluindo Bill Gates, faziam previsões para até 2000. O número de erros que eles cometeram foi enorme. Pra você ter uma idéia, nenhum deles previa sequer a possibilidade de uma Internet como a conhecemos desde 1995. Poucos sequer acreditavam que o CD-ROM seria o principal meio de distribuição de software, embora os primeiros drives de CD já estivessem começando a aparecer. Um dos entrevistados disse que "no final dos anos 90 teremos micros com 16MB de RAM", como se isso fosse algo revolucionário. A maioria acreditava também que os computadores iriam se auto-programar e que os dias dos profissionais de programação estavam contados. Ledo engano. Era também uma época em que o ambiente gráfico ainda era visto como coisa de jogador de videogame ou artistas, mesmo com a chegada do então recém-lançado Windows 3.0. Portanto, vocês do futuro, vocês que estão em 2012, não riam se eu tiver cometido muitos erros :-) Tenho certeza que a leitura deste texto será tão divertida em 2012 quanto foi divertido pra mim ter lido esta Byte de 1990.

As previsões...

- Internet móvel terá altíssima velocidade e será acessível a todos. O laptop estará 24 horas conectado na Internet.

- Na verdade o único computador será móvel, sem fios, e não será nem laptop, será uma prancheta sensível ao toque e com reconhecimento de escrita e fala. O teclado não sumirá, já que o reconhecimento de escrita e fala ainda será precário e a digitação ainda é mais conveniente, no entanto o teclado irá aparecer na própria tela quando se precisar digitar algo.

- O papel será definitivamente substituído pelo computador, já que haverão "telas flexíveis" que permitirão ler um livro ou jornal digital na cama e no banheiro. Fotografias em papel convencional e tiradas com câmeras convencionais também serão coisa do passado. Haverão também quadros digitais pendurados nas paredes, cujas imagens poderão ser trocadas como são atualmente os wallpapers do Windows ou poderão transmitir uma imagem ao vivo de paisagens ao redor do mundo, através de câmeras via Internet.

- Dados, software e configurações personalizadas estarão todas na Internet, e não mais no HD, de modo que você poderá acessa-los de qualquer lugar que estiver, em qualquer computador. Portanto a distribuição de software, transporte de dados e backup será 100% via Internet e nem CD-ROM usaremos mais. O HD virtual na Internet será mais uma letra de drive no seu sistema.

- A rede Internet se torna portanto mais importante que o software, assim como o software ultrapassou a importância do hardware nos anos 90. Para compreender melhor, basta lembrar que nos anos 80 as pessoas se preocupavam com "tal linha de micro", com o "equipamento X", e o software era mera conseqüência. Nos anos 90 o hardware se padronizou e a discussão se voltou para qual software é melhor, e fazer um upgrade no hardware se tornou então a conseqüência de uma exigência de mais processamento por parte do software. Agora que o software começa a se padronizar em torno de Windows, Office, Internet Explorer, etc, fazer um "upgrade no software" se tornará uma exigência feita pelos próprios avanços da rede. E m outras palavras, se antes mandava IBM e hoje manda Microsoft, amanhã talvez mande AOL.

- O que até então era considerado "sistema operacional de disco (DOS)" se tornará "Sistema operacional de Internet (IOS)", pelos motivos apresentados acima.

- Os trocadores de arquivos tipo Napster serão desnecessários, já que com o IOS você poderá compartilhar pastas com o mundo inteiro e fazer searchs nas pastas compartilhadas de todos os internautas ao redor do mundo.

- Haverá um mundo virtual em 3D que integrará todos os jogos. Hoje temos vários jogos multiplayers isolados. No futuro o simulador de avião se integrará ao de carro, de modo que o jogador que estiver dentro de um carro verá um avião passar sobre sua cabeça, pilotado por um jogador que estiver em um simulador de vôo. Com o tempo essa tecnologia integrará também shoppings virtuais e provavelmente todos os sites virarão prédios e lojas em 3D, visualizados com um óculos de realidade virtual, periférico que se tornará tão indispensável quanto o mouse.

- A banalização das músicas em MP3 trará players portáteis menores que caixas de fósforos e a preço de radinho de pilha que conterão toda a sua coleção de músicas prediletas com qualidade de CD (que representa o limite do ouvido humano, portanto não tem o que evoluir). Diante disso, não haverá mais como ganhar dinheiro vendendo músicas da maneira como conhecemos hoje. Os arquivos de música e também os de filmes serão considerados tão pequenos quanto são hoje os do tipo MID, de modo que não haverá meios para se conter a pirataria dos mesmos, obrigando as industrias fonografica e cinematográfica a inventarem outros meios para ganhar dinheiro. Talvez o consumidor final passe a pagar apenas por shows ao vivo mas a indústria aperte o cerco na cobrança de royalties de execuções públicas por parte de quem ganha dinheiro com a música como bares e boates, algo semelhante ao que acontece na prática com o software atualmente.

Minha história no mundo da informática

Atualização 04/06/2009: Mais links para emuladores online.
Atenção! Este texto foi escrito no final dos anos 90, portanto ainda não tem tudo o que aconteceu depois que eu entrei no mundo da Internet.




Emulador de ZX Spectrum, uma das maiores paixões da minha infância

O primeiro jogo que joguei no fliperama foi Pong (link para simulador quase idêntico), que por coincidência foi o primeiro jogo de fliperama da história. Ainda me lembro bem. Havia um fliperama no Conjunto PongNacional, na época único shopping de Brasília, aonde haviam apenas jogos em preto e branco, e joguei o Pong com a minha mãe, já que era um jogo para duas pessoas. Nesse fliperama havia também um joguinho de carro, e eu inventei uma espécie de videogame em papel inspirado nele, já que nem sonhava em ter Um 'videogame' improvisado, que usava papel transparente. Eu ia deslizando o papel sobre outro papel, que tinha o carrinho do jogador desenhado, e o objetivo era evitar encostar nos carros inimigos.videogame em casa naquela época. Alguns anos depois surgiu um outro fliperama no mesmo shopping, mas com máquinas coloridas que eram renovadas de vez em quando, o que fez com que a outra loja logo desse lugar a uma praça de alimentação. Nessa época jogava Mil Milhas (Pole Position), Exerion, Colúmbia (Xevious), Moon Cresta, Fantastic (Galaga), Zaxxon e outros junto com meu pai, que gostava do QIX , um jogo do tipo puzzle.

Nesse meio tempo meu pai me deu um encarte da revista Playboy -eu nem Foi através desta revista que tudo começousabia que revista era essa na época- que falava sobre videogames (Atualização: Após algumas pesquisas, descobri que a revista era a de número 93, de abril de 1983. A capa pode ser vista aqui. Note que a capa menciona a "revista gratis", e o artigo sobre Atari era extremamente parecido com este, de outra revista no mesmo mês. Provavelmente se tratava de uma "matéria paga" pela Dynacom). Aquela reportagem mostrando telinhas do Atari eu jamais esqueci. Pra mim aquele encarte da Playboy foi que começou toda a minha paixão por computadores e afins. Mostrei pra minha mãe dizendo querer um Atari de Telejogopresente. O encarte dizia o preço e quando ela viu disse um não bem redondo. :-) Mas eu estava apaixonado... Não pelas fotos das mulheres da PlayBoy, mas sim pelas telinhas do Atari... Um vizinho e amigo meu, Ivan, que sempre competia comigo nos "brinquedos" que ganhávamos, ganhou um Telejogo, um dos primeiros videogames e que tinha apenas 3 jogos simples em preto e branco. Algum Game&Watch do Donkey Kong 2tempo depois eu consegui ganhar um "Game&Watch" (link para simulador quase idêntico), joguinho portátil que tinha duas telinhas de cristal líquido e apenas um jogo e relógio com alarme. Os Game&Watches faziam muito sucesso na escola, onde nós trocávamos os jogos, permitindo que os colegas jogassem o nosso somente se eles também emprestassem os jogos deles. Tinha até briga. Organizei também campeonatos de Game&Watch aonde o prêmio eram pequenas miniaturas de carros que nós colecionávamos. O Atari 2600 eu joguei pela primeira vez na casa do meu primo que tinha um e eu morria de inveja. River Raid era sem dúvidas o jogo que eu mais gostava. Meu pai chegou a alugar Atari algumas vezes pois havia aluguel do videogame na época, além dos cartuchos. Quando eu finalmente ganhei meu próprio Atari, meu O famoso Atari 2600amigo Ivan, que não podia ficar atrás, ganhou um Odissey da Philips, que indiscutivelmente era pior que o Atari 2600. Enquanto isso crescia meu desejo de ter um computador. Arrumei não lembro como um exemplar da revista Micro Sistemas, a "primeira revista brasileira de micro-computadores" como dizia o slogan, aonde haviam listagens de pequenos programinhas feitos em BASIC. Mesmo sem ter Revista Micro Sistemascomputador ainda eu ficava horas vendo aqueles códigos e brincando de escrever algo no papel. Também brincava de desenhar "sprites" no papel, desenhos quadriculados parecidos com ícones, em uma época em que a resolução gráfica dos micros era tão baixa que tudo formava escadinhas na tela. Um outro amigo meu, o Ricardinho, brincava comigo e tinha até "pirataria" de sprites, ou seja, um copiava o desenho do outro e dizíamos que era "pirataria". :-)

Após muita insistência eu ganhei um CP-200, micro que não tinha cores, não CP-200, meu primeiro microtinha som, tinha apenas 16Kb de memória RAM, usava fitas cassete para guardar os programas e usava a TV como monitor de vídeo. Ivan, é claro, não podia ficar atrás, porém ele mais uma vez Começou Comprando Errado. Adquiriu um MC-1000 da CCE. Embora o MC-1000 tivesse cores e imagens em resolução um pouco melhor, ele não era compatível com nada e portanto Clip do Dire Straitstinha poucos programas. Já o CP-200 era compatível com o extremamente bem sucedido ZX81 inglês. Confesso, estávamos pau-a-pau desta vez. :-) Escreví muitos programas em BASIC, como por exemplo uma agenda telefônica e alguns joguinhos bem simples. Digitei também muitos programas em Assembly de livros. Desenhei um boneco todo quadrado que abria e fechava a boca, imitando aquele famoso clip do Dire Straits, cujo sucesso explodia e que usava computação gráfica incrível para a época. Apareceu um outro amigo, Arthur, que também tinha um CP-200, e ficávamos trocando revistas como Só Programas, Micro e Vídeo e Micro Sistemas. Com ele eu também jogava BombJack, um dos jogos de fliperama que eu mais gostavafliperama, nessa época os jogos eram Bomb Jack, Slap Fight e mais tarde Black Tiger. Vale comentar aqui sobre o Bomb Jack, que era o jogo que eu mais gostava na ocasião. Eu era o recordista no BombJack da loja que nós costumávamos jogar, até que um dia apareceu um cara diferente que simplesmente jogou o tempo que quis, ou seja, se ele quisesse teria ficado eternamente jogando e fazendo pontos no jogo. Até hoje tenho uma imagem de super-homem daquele cara! Ainda jogo BombJack no emulador e nunca consegui repetir o feito daquele "ET Revistas de eletrônica da épocadisfarçado de gente". Sonhávamos em montar nossa própria loja de fliperama. Com o Arthur brinquei também de montar pequenos transmissores de FM com aquelas plaquinhas que vinham em revistas de eletrônica.

TK90X, o micro que mais mexeu comigoDepois do CP-200 ganhei um TK90X, micro compatível com o ZX Spectrum inglês e que tinha 8 cores e 48Kb, que foi uma das minhas maiores paixões na informática até hoje. Com ele fiz até um pequeno "gerenciador de banco de dados" que dava pra criar campos e depois acrescentar dados nos registros. Eu comprava várias revistas inglesas de Spectrum e CP400, micro com o qual eu tinha aulas na escola e tinha um em casa tambémtambém muitos jogos. Ganhei também uma light pen que funcionava muito precariamente e um TPX Mouse, um mouse para TK90X que alimentou muito minha paixão por interfaces gráficas. Surgiu a certeza: meu destino era mesmo ser informata. Comecei a fazer algumas TK3000 da linha Apple 2loucuras como ter 3 micros em cima da mesma mesa, um TK90X, um CP400 e um Commodore VIC-20. Tive também vários Apples: um Unitron, um Dismac, um Exato e um TK 3000. Na escola começou a ter aula de informática e eu, é claro, era o melhor aluno na matéria e era discriminado como "nerd", numa época em que só de mexer com computador já era Commodore VIC-20, micro que não era vendido no Brasilmotivo de discriminações. Na TV tocava a música "Choveu no meu chip" no Chacrinha, e eu obviamente me amarrava.

O tempo foi passando e os micros de 8 bits começaram a ficar ultrapassados e o negócio era ter um compatível com IBM-PC, que eu havia visto pela primeira vez na casa de um amigo do amigo que tinha uma raridade que era um PC "originalzão" com monitor EGA, a mais nova tecnologia de vídeo existente na época.

Como não vi possibilidade de ganhar um PC de presente -pois era muito caro-, Microsoft Flight Simulator 4.0acreditem se quiser, quase desisti da informática. Foi quando meu pai resolveu comprar um 386 pra ele, já que a profissão de arquiteto começava a exigir o uso de computador. O salto do que eu tinha antes para o que eu passei a rodar no 386 foi tão grande que eu tive "orgasmos múltiplos" quando vi o Flight Simulator do PC com gráficos VGA, até então inimagináveis para mim. Cheguei a conhecer o Windows "2 ponto alguma coisa" que tinha uma interface parecida com a que tem o Edit do DOS mas não fazia muito sucesso e eu não dei muita bola. O executável do Windows 3.0Windows 2 chamava "WINUTIL.EXE" e eu e meu pai brincávamos dizendo que era porque ele era "o inútil" mesmo :-) Com o tempo veio a explosão do Windows 3.0 (meados de 90) e finalmente pude experimentar verdadeiramente uma coisa pela qual alimentava muita paixão que eram as interfaces gráficas. Antes do Windows 3.0 eu sonhava muito ao ver as fotos da interface do Macintosh, mas via isso como um sonho quase impossível de realizar. Logo depois veio o sonho de programar "for Windows". A idéia de desenvolver meus próprios programas com interface gráfica era Visual Basic 1.0tentadora. Quando vi em uma revista americana o anúncio da primeira versão do Visual Basic da Microsoft, cassei o mesmo pela cidade incessantemente até que encontrei uma cópia -na época raríssima- dos dois disquetes de 5 1/4 da versão 1.0 do VB. Caiu como uma luva, já que o BASIC era a linguagem que eu já havia cultivado desde a infância. Com o tempo vieram os empregos e serviços para trabalhar com VB.

Alguns anos depois tive meu primeiro modem, de 2400bps, com o qual eu acessava várias BBSs. Lá pra 95 ouvi falar pela primeira vez de Internet através de um anúncio da Embratel no jornal que minha irmã me mostrou. Achei estranho e nem dei muito crédito, afinal eu já tinha visto experiências como o VideoTexto irem por água abaixo. Mas afinal, a Internet pegou a todos nós informatas de surpresa. Essa rede mundial era simplesmente impensável para nós e nem sequer a hipótese de uma rede mundial era levantada em nenhuma literatura. Através da Internet abri esta que é uma das primeiras home pages pessoais brasileiras e que já teve várias "caras" diferentes mas sempre o mesmo endereço (atualização: o site original ficava na Geocities desde 1996, mas o site apagou a minha conta. Atualização 2: A WebHostMe saiu do ar então puz no Blogger). Participei ativamente também dos primeiros canais brasileiros de bate-papo pelo IRC, e com o tempo vieram muitos "IRContros" que renderam algumas namoradas e também alguns empregos, agora para trabalhar com a então chamada "information super-highway"...
Primeiro 'IRContro' de Brasília, e provavelmente o primeiro do Brasil com essas dimensões
Primeiro "IRContro" de Brasília, e provavelmente o primeiro do Brasil com essas dimensões

quinta-feira, 13 de outubro de 2005

Momento MAIS do dia: depois do ensaio no coro da Aneel acabei de treinar um pouco as músicas novas do Laugi. Descobri que pela primeira vez vou me apresentar nos dois coros numa mesma noite num encontro de coros que haverá em breve. Legal!

Vou adicionar uma imagem aqui que pretendo usar para o link das minhas fotos.

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

Momento MAIS de hoje: Ouvi alguns PodCasts através de http://podcasts.yahoo.com. Tem uns muito legais. E já tem vários em português. É a democratização do rádio. Eu to pensando em fazer um podcast pro site de notícias do qual eu participo, o http://www.meiobit.com.

domingo, 9 de outubro de 2005

Momento MAIS do dia: as vezes ficar ouvindo o mesmo tipo de música de sempre enche o saco. Hoje fiquei ouvindo uma rádio anos 50 no Winamp. Muito bom.

Isso é o "momento MAIS do dia". Uma tentativa de resgatar o espírito de "diário" do blog de maneira bem simples, facilitada, sem entrar muito em detalhes.

sábado, 1 de outubro de 2005

hmmm... Hoje eu tô num desânimo muito grande... Mas isso não vai ficar assim.

terça-feira, 20 de setembro de 2005

ABAIXO AS CERCAS (vivas ou não)

Adoro caminhar, mas uma coisa que eu ODEIO nessa cidade desde umas décadas pra cá são as cercas em volta dos prédios das Superquadras das Asas Sul e Norte e do Setor Sudoeste. Os prédios de Brasília foram feitos "abertos em baixo", com pilares, justamente PARA GARANTIR A LIBERDADE DE IR E VIR DAS PESSOAS. Eu cresci numa cidade sem isso, mas agora sempre que estamos passeando a pé pela cidade temos que muitas vezes dar voltas enormes porque nunca sabemos até onde a próxima cerca vai dar. UM ABUSO TOTAL, JÁ QUE SE TRATA DE ÁREAS PÚBLICAS.

Quando eu me vejo preso e percebo que dá pra passar de alguma forma pela cerca eu passo sem me importar se estou estragando as plantas da cerca, E ESTIMULO TODOS A FAZEREM O MESMO.

O político que disser que irá derrubar essas cercas é sério candidato ao meu voto.

quarta-feira, 3 de agosto de 2005

Os EUA não querem mais exploração espacial como antes

Olha só... No início eu não pretendia postar minhas visões políticas aqui, mas vou mudar ligeiramente de idéia e postar algumas bobajadas...

Quero falar sobre exploração espacial. Me diga com sinceridade, leitor: pra você essa coisa de exploração espacial não está com uma imagem um tanto "batida"? Mas será que é você mesmo que chegou a conclusão de que gastar milhões com ônibus espaciais não vale a pena ou foi influenciado a ter essa opinião?

A minha teoria é de que a exploração espacial não interessa mais aos EUA tanto quanto interessava antigamente, na época da guerra fria. São eles que acham essa despesa um fardo e querem se livrar dela. A URSS não existe mais, então pra que gastar milhões para fazer viagens espaciais? Não é a toa que foi cortada grande parte da verba da NASA, pelo que li por aí.

Seria só questão de "decidir não fazer mais viagens espaciais", se eles próprios não tivessem durante décadas estimulado o contrário nas nossas cabeças. Na época da guerra fria os filmes de Hollywood por exemplo exibiam uma visão muito mais romântica da exploração espacial, e todos os jovens sonhavam em serem astronautas.

Agora o que eu vejo é só desastre no espaço, e um estimulo cada vez maior a exploração aqui na Terra mesmo... Os filmes que antes tinham muitas naves atirando raios lazer em meio a estrelas na escuridão do espaço hoje se voltam para o verde das árvores e azul do céu atmosférico, além do fundo do mar. Pode prestar atenção... A mensagem final é sempre voltada para dizer que os ETs são sangue-sugas interessados somente em consumir os recursos do nosso precioso planeta, que deve ser preservado.

Pode ser que o ônibus espacial atualmente no espaço exploda ao tentar voltar para a Terra, mas eu aposto como ele vai sim voltar em segurança. OS telejornais repetem que a viagem custou milhões de dólares e que está dando inúmeros problemas, mostrando os astronautas com cara de decepção. Desconfio que seja esse o objetivo, colocar na cabeça das pessoas a idéia de que "não vale a pena".

Não estou dizendo que isso seja bom nem ruim, mas que talvez a sua opinião não seja exatamente sua...

sexta-feira, 29 de julho de 2005

Mais uma das palmeiras

É que no fim das contas é essa que está fazendo mais sucesso na crítica...



sábado, 23 de julho de 2005

Finalmente novas fotos

Troquei a minha câmera e finalmente estou voltando a fotografar. Já tinha gente cobrando heheh

Clique nelas pra ver maior


Palmeiras atrás do congresso


O lago visto do pontão


Um beijo na ponte JK


Um pescador no lago


Um dos brinquedos mais famosos de Brasília, o "foguetinho"

sexta-feira, 3 de junho de 2005

Meus textos em mais um site

Conheça minha novíssima coluna "Futurologia", no portal Spiner. Publiquei o meu último texto lá, escrito especialmente para inaugurar a coluna.

Textos de minha autoria (notícias) também no Meio Bit.

Mais uma apresentação de coro se aproximando... Dessa vez um concerto do Laugi. Muita música pra treinar!

quinta-feira, 2 de junho de 2005

Você ainda vai ler jornal em um Tablet PC

Li uma notícia agorinha aonde as editoras de jornais respondem a questão sobre se o jornal impresso vai ou não ser derrotado pelo digital, afirmando achar irônico que após 400 anos dominando o cenário da mídia mesmo com a vinda da TV e do rádio, ainda hajam comentaristas sugerindo que os dias do jornal em papel estão contados.

Bom, eu sou um desses comentaristas e acho que de fato esse fim está dessa vez realmente próximo de acontecer. Quando a gente fala "fim" é preciso terem em mente que isso é uma mera generalização que não deve ser levada ao pé da letra. Pode-se atualmente dizer, por exemplo, que a máquina de escrever, a câmera fotográfica convencional e o disco LP foram "substituídos", mesmo que ainda haja gente que use esses dinossauros por motivos, digamos, especiais. Claro que a camada mais pobre da sociedade por exemplo vai demorar mais para entrar para a era digital, mas apenas pelo motivo de não ter dinheiro para comprar as novidades. Também as pessoas com mais idade podem eventualmente encontrar mais dificuldade para se acostumar com os novos padrões. Mas no lado prático da coisa, podemos dizer que o digital já "aposentou" esses formatos antigos.

Porque eu acharia que o jornal impresso, mesmo tendo sobrevivido a TV e ao rádio, agora estaria com os dias contados?

Bom, vamos primeiro ver os prováveis motivos pelo qual a TV e o rádio não substituíram o jornal em papel, citando as desvantagens deles:

- Não mostram maiores detalhes
A TV e o rádio geralmente não se aprofundam muito nas notícias que apresentam, sendo estas em muitos casos apenas comparáveis aos títulos e resumos de capa dos jornais em papel.

- Tem local e horário fixo para ser visto
O jornal em papel é o único que pode ser lido em qualquer hora e em qualquer lugar. Preciso dizer mais alguma coisa?

- Não podem repetir a notícia
Às vezes você está assistindo o noticiário e o telefone toca.

- Você é obrigado a ver ou ouvir o que não quer
Se eu quero ler só sobre as últimas da tecnologia, pego apenas o "caderno de informática". Já a TV tem propaganda, fofoca de novela e notícia sobre politicagem barata que não me interessam.

Ok, diante desses argumentos é muito fácil saber o motivo pelo qual o jornal impresso nunca foi "substituído" pelo rádio e TV. Mas e o jornal digital on-line? Tem alguma desvantagem? Por enquanto só o tamanho do computador, que impede de levá-lo para qualquer lugar. Mas estou falando de um futuro próximo, aonde o Tablet PC se tornará cada vez mais utilizado. Os proprietários destes certamente começarão a notar que só há vantagens no jornal digital. Quais seriam então as desvantagens do jornal impresso em relação ao digital?

- Estão limitados a grandes jornais
Por mais que se diga que na Internet é muito grande a quantidade de "lixo”, não é difícil encontrar dezenas de fontes "confiáveis". Basta ir a um agregador de notícias como o Google News (news.google.com). Portanto, o fato de também haverem na Internet fontes "alternativas", como pequenos jornais, blogs e outros, apenas faz dela um meio muito mais democrático e imparcial que qualquer tipo de jornal, sem eliminar a confiabilidade, já que a escolha por ler fontes menos conhecidas fica por conta do usuário.

- Não são atualizados em tempo real
O jornal em papel neste aspecto perde até para a TV e o rádio, pois nestes ainda há a possibilidade de haverem "plantões". Já o jornal on-line, além deter todas as características positivas do jornal impresso, ainda por cima é atualizado em tempo real, mesmo quando se tratam de notícias não muito importantes, o que não ocorre nem com a TV.

- Não tem multimídia
O jornal via web pode ter, além de textos e fotos, vídeos anexados as notícias.

-Não tem links
O jornal via web quase sempre apresenta links para outras notícias e sites relacionados.

- Sujam as mãos e não são fáceis de se manusear
Embora o jornal em papel possa ser lido em qualquer hora e lugar, é fato que aquelas folhas enormes são um saco. Tenho certeza de que quando o Tablet PC finalmente virar moda todos vão ver que o papel não é melhor para ler do que este tipo de tela, embora isso ainda não seja válido em relação aos displays de micros desktop.

- Não tem "copy e paste"
Que maravilha é o "copy e paste". Quem já não colou parte de uma notícia relevante no e-mail para compartilhar com os amigos ou colegas de trabalho?

- Não tem histórico nem "search"
A grande maioria dos jornais on-line mantém guardadas todas as suas "notícias anteriores" em seus servidores, de modo que o leitor pode facilmente pesquisar por palavras-chave. Já o jornal em papel geralmente vai pro lixo.

sábado, 21 de maio de 2005

Feliz estou

Mais uma apresentação no teatro nacional... Dessa vez com o coro da ANEEL, sob a regência do Vladimir Fiuza... Como é bom, nossa... Eu tava com medo que uma música lá saísse muito ruim mas no fim até que deu certo, pelo menos a parte que eu cantei. E amanhã tem mais :-)

domingo, 15 de maio de 2005

Mulheres andem de shortinho!

Será que pega mal eu falar das minhas taras aqui? Bah... ninguem lê esse blog mesmo heheh...

Se eu tenho uma tara é por um shortinho bem curto... Mas não aqueles colados que mais parecem uma sunga. Alguns chamam de bermudinha. Praticamente qualquer mulher que eu vejo de short eu paro pra olhar heheh... Engraçado... mini-saia pra mim não tem 1/10 da graça, e biquini tem, digamos, a mesma graça, só que aí depende muito mais do corpo da mulher. Já de short eu olho pra qualquer uma heheheheh...

segunda-feira, 9 de maio de 2005

Um dos melhores jogos que já vi

Prince of Persia Warrior Within. Uma obra de arte, provando que John C. Dvorak está enganado quanto aos jogos. Até concordo que jogos como Half-Life 2 não mudam lá muita coisa, mas é mera questão de ser uma sequência de um jogo já muito conhecido. Há alternativas, é só sair do "lugar comum". Outro jogo interessante e até certo ponto "diferente" é Rayman 3. Não Dvorak, a culpa não é da falta de possibilidades ou criatividade dos produtores de jogos mas sim dos gamers que insistem nos mesmos jogos de sempre.

Uma ressalva: só joguei a versão demo do Half Life 2...

segunda-feira, 2 de maio de 2005

E aí Marco, o que tem feito?

hmmm... To curtindo meu micro novo. Finalmente fiz um upgrade. Pulei de um AMD Duron 850 pra um Athlon 2800+ com GeForce FX5200. Brincando muito com FarCry, HalfLife 2, Need for Speed Underground 2. Finalmente foi possível rodar o emulador de Macintosh OS/X também. Realmente eu gostaria que o Windows fosse igual ao OS/X, mas mantendo a popularidade heheh...

To precisando estudar mais as músicas do Laugi... vish.... To ruim paca... Mas de fato não estudei o tanto que deveria... Mas nos últimos dias tenho me esforçado mais e acredito que ainda tenho chance heheh... Vamos ver no próximo ensaio... As músicas do Laugi são desafiadoras e eu to gostando muito disso, apesar de estar nessa preguiça. E olha que eu tenho um micro-estúdio heim, mas o que eu tenho feito mais é gravações, testando a voz, tentando melhorar o timbre e cantar de maneira mais "tranquila", quando tenho tempo né, que também não tem sobrado muito!

Alias está se aproximando uma apresentação do coro da Aneel no Teatro Nacional... Muito legal se apresentar lá.

Hmm... lembrei que estou parado em relação a fotografia... precisando voltar :)

Agora to postanto minhas notícias de MP3 (e talvez outros assuntos de informática) também no site http://www.meiobit.com. Como descrito neste blog tenho interesse em participar de outras publicações, quem sabe um dia viro um "Dvorak" heheheh...

É isso aí querido blog (não perguntei se é coisa de boiola).

Por falar nisso... ô vontade de ter uma namorada.

terça-feira, 5 de abril de 2005

Vídeos na Internet

Como eu disse em um post anterior, os anos 2000 são marcados principalmente pelo "reality show", que, pra quem não sabe, teve sua origem na Web.

Tudo começou quando um maluco teve a idéia de ligar uma webcam filmando 24 horas por dia a máquina de café da empresa em que ele trabalhava. Essa primeira câmera ao vivo originou milhares de outras, mais notadamente a "JennyCam" que foi a primeira webcam ao vivo que mostrava 24 horas por dia o quarto de uma pessoa. Depois disso vieram os reality shows na TV. Apesar disso a Internet nunca foi até hoje um lugar muito apropriado para visualização de vídeos, que ainda são muito escassos principalmente pelo fato de que as conexões não são tão rápidas. Na verdade na maior parte de sua vida até hoje a Internet foi puro texto, sem nenhuma imagem. Antes da invenção da Web todos os serviços da rede se destinavam a transferência apenas de textos. Era assim com o Gopher por exemplo. Depois, com a Web, começaram a aparecer ícones que facilitavam a navegação, e, mais tarde, as fotografias com centenas de cores. Os sons também estão cada vez mais presentes, embutidos principalmente em aberturas em Flash, que diga-se de passagem tornaram as animações uma realidade bastante presente na rede. Será que estamos finalmente próximos dos dias em que o vídeo será algo corriqueiro nas janelas do browser?

Um anúncio recente da Google me levou a crer que esse dia pode estar chegando. Ao que tudo indica se trata de um Vídeo Blog. Com o advento das câmeras digitais os Foto Blogs já vem há algum tempo fazendo enorme sucesso. Só que a grande maioria das câmeras vem também com um recurso que até então não é muito utilizado: o que gravar vídeo com som e tudo. A maioria dos proprietários de câmeras digitais sub-utilizam esse recurso pois ele exige muita memória dos cartões flash, que só recentemente estão começando a ficar mais acessíveis, o que finalmente está viabilizando a gravação de filmes. Isso junto com as conexões cada vez mais rápidas e o advento dos VLogs certamente resultará em um casamento perfeito entre o vídeo e a Web em um futuro próximo.

Portanto, prepare-se para a nova era da Internet, a era do vídeo. Será que a televisão ficará orfã?

quinta-feira, 31 de março de 2005

Melhor metodologia de desenvolvimento de sistemas: KISS. Keep It Simple Stupid!

----

Eu já disse aqui que chegou a minha cabine acústica? Já to recebendo um monte de spam de equipamentos para exame de audiometria. Tão pensando que eu sou médico. Na verdade essa cabine tá é me ajudando bastante a tentar cantar melhor. De fato tenho percebido avanços na minha técnica vocal. Junto com a cabine eu comprei um microfone dinâmico profissional da Behringer, marca que alias me conquistou pelo bom preço por qualidade comparável a de coisas bem mais caras. É muito legal essas coisas de som profissionais. Comprei também um pré-amplificador pra ligar o microfone no computador (ele é necessário). É interessante como essa cabine pra exame de audiometria dá certinho para a aplicação que eu faço dela, pois além das paredes com isolamento acústico (que é bom mas poderia ser melhor) ela tem um burado pra passagem dos cabos, o visor que me permite olhar o monitor do computador e suportes para pendurar as coisas. Eu peguei um mouse tipo trackball que tava encostado pra controlar o computador lá de dentro da cabine sem precisar de espaço pra "arrastar o mouse". LEgal é que dois mouses ligados ao mesmo tempo no Windows (o de dentro da cabine e o de fora) funcionam perfeitamente. Vou fazendo as gravações e tentando melhorar cada vez mais. Quem sabe um dia eu consigo fazer algo que dê pra postar em MP3 pra outras pessoas ouvirem, assim como eu já faço com a fotografia :-P

É... o meu sonho de cantar de maneira prestável ainda não acabou :-)

Porque um "micro-estúdio particular" e não um curso de canto, poderia ser questionado... Meu caro... Eu sou um autodidata nato. Tudo que eu aprendi até hoje aprendi sozinho. Os cursos nunca me pareceram muito eficazes. A cabine era simplesmente o que me faltava para eu por em prática esse aprendizado na música, assim como aconteceu na fotografia quando comprei minha câmera fotográfica digital e na informática com os meus inúmeros computadores junto com a técnica de tentativa e erro usada a exaustão.
Estava lendo na Slashdot um artigo sobre a longevidade da mídia digital. Acho simplesmente nonsense essa discussão. Vejo muita gente dizer que outras mídias físicas duram mais e tal. Outros dizem que a foto digital traz como desvantagem "o fato de que as pessoas acabam apagando muitas das fotos por achá-las menos importantes". NONSENSE!!! Ora, e os negativos que esquecemos apodrecendo nas gavetas? CD virgem é algo tão barato que eu por exemplo gravo até as fotos "queimadas" (aquelas tiradas sem querer, apontadas pro chao, e tal) nos meus CDs de fotos. Pombas! O digital nunca perde um bit sequer de qualidade quando re-copiado, ao contrário de qualquer mídia física. Minha técnica para fazer as fotos durarem a vida inteira é muito simples, e eu não tenho nem que me preocupar com a periodicidade com que faço backups nem nada. Simplesmente tiro duas cópias do mesmo CD com fotos. Se algum dia uma das duas cópias parar de funcionar, eu simplesmente tiro uma nova cópia do mesmo CD utilizando o outro CD que ainda está funcionando. A possibilidade dos dois CDs estragarem AO MESMO TEMPO é quase nula, e, mesmo que haja essa possibilidade, ainda assim é 10.000 vezes mais seguro que guardar negativos, ou papeis, ou fitas, ou qualquer outra coisa analógica.

sexta-feira, 25 de março de 2005

Feriado... Estava pensando sobre nostalgia. Claro que eu, com 32 anos, tenho muita nostalgia relacionada aos anos 80. Caramba outro dia assisti o filme DE REPENTE 30! Se você beira esta idade, ASSISTA! A moça (linda alias. Fiquei apaixonado) dançando ao som de Thriller não tem preço!

Nós temos eu diria uma certa sorte pois os anos 90 foram meio fracos e o que vigora até hoje são os 80. A maioria das pessoas (se não todas) numa festa que eu fui outro dia eram mais novas que eu e mesmo assim o que mais rolou foi 80s.

Agora, década que eu tenho quase certeza que vai deixar MUITA saudade é essa de agora, dos anos 2000. Rapaz... Geralmente a gente só percebe que era feliz muitos anos depois, mas é que eu me dei ao luxo de fazer uma análise um pouco mais fria dessas coisas e tudo indica que vivemos em uma década e tanto, cheia de coisas "do tipo" que trazem saudade.

Não sei se vão concordar, mas cada década tem sua "característica marcante", como por exemplo os anos 60 poderiam ser lembrados como "a década da rebeldia", e os 70 a do "disco-dance". E as demais décadas? Aí vai minha opinião: 80 é, não tem jeito, "lixo cultural", mas um lixo que traz saudades. 90 seria a década do "cyberespaço", pela vinda fenomenal da Internet comercial e também da obrigatoriedade do uso de micro-computadores em casa, e os 2000 seriam os anos marcados pelo "reality show", ou "realidade paralela", que no fim das contas dá no mesmo. São filmes como Matrix e os programas como BBB o que eu acho que mais deixou marcas dos anos 2000. Embora isso de reality show não seja lá muito cult, eis uma das coisas que penso que trará muita nostalgia no futuro, vide minha experiência com os anos 80. Mas há outras coisas como o terrorismo de Bin Laden e suas consequências que, perversamente, trarão "saudade", pode apostar. Também o MP3 que ainda está por crescer, a vinda da câmera fotográfica digital, a escalada do DVD, a banalização dos atuais celulares, entre outros.

Portanto aproveite o fato de estar vivendo esta década. Amanhã você vai querer voltar pra ela.

quinta-feira, 3 de março de 2005

Quanto tempo sem postar aqui heim? Putz! Agora eu sou um homem batalhador, com pouco tempo pra essas coisas heheheh

Quero deixar aqui o meu manifesto contra as músicas infantis mais famosas! Elas são preconceituosas! Olha só que absurdo o que ensinam para nossas crianças:

Preconceito contra os animais:
"Atirei o pau no gato-to, mas o gato-to não morreu-eu-eu, dona Chica-ca admirou-se-se com o berro que o gato deu!"

Preconceito contra cor de pele:
"Boi boi boi... boi da cara preta... pega essa menina que tem medo de careta"

Preconceito contra os mais pobres:
"O anel que tu me destes é de vidro e se quebrou, o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou..."

Preconceito contra os mais velhos:
"Piri pra cá, piri pra lá, Maria é velha e quer casar"

Terrível!

Até mais!