Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de março de 2005

Melhor metodologia de desenvolvimento de sistemas: KISS. Keep It Simple Stupid!

----

Eu já disse aqui que chegou a minha cabine acústica? Já to recebendo um monte de spam de equipamentos para exame de audiometria. Tão pensando que eu sou médico. Na verdade essa cabine tá é me ajudando bastante a tentar cantar melhor. De fato tenho percebido avanços na minha técnica vocal. Junto com a cabine eu comprei um microfone dinâmico profissional da Behringer, marca que alias me conquistou pelo bom preço por qualidade comparável a de coisas bem mais caras. É muito legal essas coisas de som profissionais. Comprei também um pré-amplificador pra ligar o microfone no computador (ele é necessário). É interessante como essa cabine pra exame de audiometria dá certinho para a aplicação que eu faço dela, pois além das paredes com isolamento acústico (que é bom mas poderia ser melhor) ela tem um burado pra passagem dos cabos, o visor que me permite olhar o monitor do computador e suportes para pendurar as coisas. Eu peguei um mouse tipo trackball que tava encostado pra controlar o computador lá de dentro da cabine sem precisar de espaço pra "arrastar o mouse". LEgal é que dois mouses ligados ao mesmo tempo no Windows (o de dentro da cabine e o de fora) funcionam perfeitamente. Vou fazendo as gravações e tentando melhorar cada vez mais. Quem sabe um dia eu consigo fazer algo que dê pra postar em MP3 pra outras pessoas ouvirem, assim como eu já faço com a fotografia :-P

É... o meu sonho de cantar de maneira prestável ainda não acabou :-)

Porque um "micro-estúdio particular" e não um curso de canto, poderia ser questionado... Meu caro... Eu sou um autodidata nato. Tudo que eu aprendi até hoje aprendi sozinho. Os cursos nunca me pareceram muito eficazes. A cabine era simplesmente o que me faltava para eu por em prática esse aprendizado na música, assim como aconteceu na fotografia quando comprei minha câmera fotográfica digital e na informática com os meus inúmeros computadores junto com a técnica de tentativa e erro usada a exaustão.
Estava lendo na Slashdot um artigo sobre a longevidade da mídia digital. Acho simplesmente nonsense essa discussão. Vejo muita gente dizer que outras mídias físicas duram mais e tal. Outros dizem que a foto digital traz como desvantagem "o fato de que as pessoas acabam apagando muitas das fotos por achá-las menos importantes". NONSENSE!!! Ora, e os negativos que esquecemos apodrecendo nas gavetas? CD virgem é algo tão barato que eu por exemplo gravo até as fotos "queimadas" (aquelas tiradas sem querer, apontadas pro chao, e tal) nos meus CDs de fotos. Pombas! O digital nunca perde um bit sequer de qualidade quando re-copiado, ao contrário de qualquer mídia física. Minha técnica para fazer as fotos durarem a vida inteira é muito simples, e eu não tenho nem que me preocupar com a periodicidade com que faço backups nem nada. Simplesmente tiro duas cópias do mesmo CD com fotos. Se algum dia uma das duas cópias parar de funcionar, eu simplesmente tiro uma nova cópia do mesmo CD utilizando o outro CD que ainda está funcionando. A possibilidade dos dois CDs estragarem AO MESMO TEMPO é quase nula, e, mesmo que haja essa possibilidade, ainda assim é 10.000 vezes mais seguro que guardar negativos, ou papeis, ou fitas, ou qualquer outra coisa analógica.

sexta-feira, 25 de março de 2005

Feriado... Estava pensando sobre nostalgia. Claro que eu, com 32 anos, tenho muita nostalgia relacionada aos anos 80. Caramba outro dia assisti o filme DE REPENTE 30! Se você beira esta idade, ASSISTA! A moça (linda alias. Fiquei apaixonado) dançando ao som de Thriller não tem preço!

Nós temos eu diria uma certa sorte pois os anos 90 foram meio fracos e o que vigora até hoje são os 80. A maioria das pessoas (se não todas) numa festa que eu fui outro dia eram mais novas que eu e mesmo assim o que mais rolou foi 80s.

Agora, década que eu tenho quase certeza que vai deixar MUITA saudade é essa de agora, dos anos 2000. Rapaz... Geralmente a gente só percebe que era feliz muitos anos depois, mas é que eu me dei ao luxo de fazer uma análise um pouco mais fria dessas coisas e tudo indica que vivemos em uma década e tanto, cheia de coisas "do tipo" que trazem saudade.

Não sei se vão concordar, mas cada década tem sua "característica marcante", como por exemplo os anos 60 poderiam ser lembrados como "a década da rebeldia", e os 70 a do "disco-dance". E as demais décadas? Aí vai minha opinião: 80 é, não tem jeito, "lixo cultural", mas um lixo que traz saudades. 90 seria a década do "cyberespaço", pela vinda fenomenal da Internet comercial e também da obrigatoriedade do uso de micro-computadores em casa, e os 2000 seriam os anos marcados pelo "reality show", ou "realidade paralela", que no fim das contas dá no mesmo. São filmes como Matrix e os programas como BBB o que eu acho que mais deixou marcas dos anos 2000. Embora isso de reality show não seja lá muito cult, eis uma das coisas que penso que trará muita nostalgia no futuro, vide minha experiência com os anos 80. Mas há outras coisas como o terrorismo de Bin Laden e suas consequências que, perversamente, trarão "saudade", pode apostar. Também o MP3 que ainda está por crescer, a vinda da câmera fotográfica digital, a escalada do DVD, a banalização dos atuais celulares, entre outros.

Portanto aproveite o fato de estar vivendo esta década. Amanhã você vai querer voltar pra ela.

quinta-feira, 3 de março de 2005

Quanto tempo sem postar aqui heim? Putz! Agora eu sou um homem batalhador, com pouco tempo pra essas coisas heheheh

Quero deixar aqui o meu manifesto contra as músicas infantis mais famosas! Elas são preconceituosas! Olha só que absurdo o que ensinam para nossas crianças:

Preconceito contra os animais:
"Atirei o pau no gato-to, mas o gato-to não morreu-eu-eu, dona Chica-ca admirou-se-se com o berro que o gato deu!"

Preconceito contra cor de pele:
"Boi boi boi... boi da cara preta... pega essa menina que tem medo de careta"

Preconceito contra os mais pobres:
"O anel que tu me destes é de vidro e se quebrou, o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou..."

Preconceito contra os mais velhos:
"Piri pra cá, piri pra lá, Maria é velha e quer casar"

Terrível!

Até mais!