Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de janeiro de 2006

Abaixo as cercas nas Superquadras

Quero reiterar a minha indignação em relação as cercas que colocam em volta dos prédios residenciais aqui em Brasília. Um caminho que eu costumava fazer a partir do meu trabalho já não é mais possível pois foi barrado por cercas em dois prédios. Os prédios de Brasília foram feitos com pilares embaixo para garantir o direito de ir e vir das pessoas, e é um abuso de invasão de área pública isso que estão fazendo. Criou-se nessa cidade o estígma de que "é obrigatório usar carro para ir a qualquer lugar que seja", o que tem aumentado enormemente o tráfego cada vez mais congestionado em nossas ruas, além é claro de contribuir para a poluição. Por esses motivos eu penso que o pedestre, seja aquele que depende de andar a pé ou aquele que as vezes deixa o carro em casa ou no estacionamento do trabalho para almoçar, deveria ser mais respeitado e até estimulado com facilidades para a sua caminhada, não barreiras.

No mínimo devia haver alguma regulamentação para isso, que obrigasse, por exemplo, a ter um número determinado de passagens com calçadas de cada lado dos prédios, frente, trás, lateral esquerda e direita.

Eu sei que o que esse tipo de gente quer no fim das contas é transformar todas as superquadras em condomínios fechados, cercando as quadras inteiras. Eles puxam pra esse lado e eu vou ser um dos que vão puxar a coisa pro lado oposto, porque eu não acho correto que a minha cidade se transforme nisso.

Engraçado é que esses condôminos, provavelmente motoristas incapazes de caminhar até a padaria que seja (e que depois de anos vão provavelmente estar com problemas cardíacos), foram bem unidos para barrar a tentativa do governo de cobrar pelos estacionamentos da cidade (graças a deus). É uma pena que a maioria dos que andam a pé nessa cidade são pobres humildes sem a mesma influência, e que portanto ninguem se sente obrigado a dar o devido respeito.

Se você concorda espalhe essa mensagem

2 comentários:

Anônimo disse...

violência filhote, violência.

Ataliba disse...

É, na realide sempre há dois lados em tudo;
Um é o pessoal tentando se defender da violência e do outro lado você tentando usar um serviço que você precisa.
Fim das contas, o culpado nao é nem quem quer se defender ou você que quer usar. Mas sim, o todo que não consegue, ou seja, nossos administradores que não conseguem nos dar uma vida decente com os impostos que pagamos.