Pesquisar este blog

quarta-feira, 22 de março de 2006

Segundo as notícias a Microsoft avisou que como de costume o lançamento do novo Windows será adiado, por enquanto para depois de janeiro de 2007. Engraçado é que a versão para empresas continua marcada para sair em 2006. Se a versão para empresas é a mais completa acho que é essa mesma que a maioria das pessoas, principalmente aficcionados, vai querer ter em casa (daquela forma que você sabe como), e desta forma, se for mesmo verdade, eu desconfio que o adiamento não passe de mais uma jogada de marketing para fazer o novo produto continuar nas manchetes até o lançamento.

De qualquer forma eu já estava pra escrever que na minha opinião o Vista já vai nascer com uma imagem meio de coisa arcaica. Hoje em dia as pessoas passam muito mais tempo em frente a um browser do que usando outras aplicações desktop, e até 2007, mesmo que as aplicações via Web ainda não sejam as mais utilizadas, o desktop já vai começar a ter um certo ar de nostalgia, como aconteceu com o console (ou ambiente caractere, ou DOS, ou modo texto, como preferir) no final dos anos 80 e início dos 90.

No entanto a Microsoft por enquanto realmente não pode ser acusada de estar ficando para trás neste campo. Nos "guetos" da gigante uma revolução está acontecendo. Em um evento para aficcionados, a empresa anunciou que está próxima da versão final do Atlas, que é uma framework para desenvolvimento de aplicações Web, e lançou uma licensa permitindo o uso da mesma em aplicações de mundo real.

Outro anúncio da Microsoft é o WPF/E, que estão chamando de "o matador do Flash". Trata-se de uma versão portátil do Avalon, plataforma gráfica do Windows Vista, que, segundo dizem, será multi-plataforma e multi-browser.

Mas deixando Microsoft um pouco de lado, estou adorando usar o "HD virtual" do Box.net dentro do Netvibes, que continua sendo o portal Ajax de minha escolha, por ser rápido, seguro (os outros dão muito pau), e ter o que eu preciso. Com o Box.Net eu transfiro arquivos entre a minha casa e o trabalho com muito mais facilidade do que enviando por email ou usando o hack do Gmail. Mas faltam coisas como poder apagar os arquivos através do widget.

Uma manchete nada surpreendente que eu li outro dia é que o padrão de TV Digital brasileiro "deverá levar meses para ser escolhido". É uma piada esse treco. Já vejo eles prometendo essa tal TV digital ha anos e sempre acertei em relação a ela: nunca acreditei nela. Durante muito tempo eles falaram que haveria acesso a Internet nessa TV, além de interatividade total. Só se for para poucos, pois com um simples conversor eu duvido que vão conseguir proporcionar isso as pessoas de baixa renda. Alias é isso que é importante: dar acesso a Internet. Essa TV digital, eu sou capaz de apostar, não passará, para a maioria das pessoas, de no máximo uma imagem melhor para os canais que já temos na TV aberta, talvez com adição de alguns outros canais que provavelmente não farão muita diferença. Porque não encampar coisas mais importantes como um acesso a Internet para todos, usando os tais computadores de 100 dólares (embora eles sejam outro aparente fiasco) e WiMax, algo do gênero. Do jeito que avança essa tal TV digital, a passo de tartaruga, será um fiasco maior que a eterna promessa que foi o VideoTexto nos anos 80, que podia muito bem ter sido uma "Internet brasileira", mas nunca virou aquilo que prometeram.

Nenhum comentário: