Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de outubro de 2006

O sistema operacional está morto

Tava lendo um interessante texto em um site de "Applemaníacos" que repete algo que eu já venho professando há alguns anos: o sistema operacional está deixando de ser importante, frente a Internet, quando esta é vista como uma plataforma. A questão proposta pelo autor é se você trocaria o sistema operacional que você mais ama, incluindo todos os softwares já instalados, mas sem acesso a Internet, pelo sistema operacional que você mais odeia, porém com acesso pleno a Internet, se só tivesse essas opções. Muita gente que comentou o texto parece não ter entendido direito o que ele propõe. Talvez seja preciso ter vivido bastante a época em que não existia Internet comercial para poder entender corretamente. Antes de 1995, 99,9% dos computadores pessoais não tinham acesso a Internet, e portanto só se rodava aplicações locais. A informática foi assim durante mais de uma década. Foi exatamente isso que fez a Microsoft chegar aonde chegou. Voltando mais ainda no tempo, é preciso lembrar que um dia a IBM reinou e era acusada de monopólio assim como hoje o é a Microsoft. Nessa época não existia nem mesmo o computador pessoal, somente os mainframes com terminais burros conectados, restritos a grandes empresas. Quando veio a era dos computadores pessoais, a IBM se mostrou relutante para aceitar modificar alguma coisa no seu já sólido mercado de mainframes, e foi aí que o esperto Bill Gates se aproveitou desta "deixa" para se tornar o gigante do software em pacote, com seu sistema operacional para PCs. Mas a informática nunca para e um dia surgiu uma tal de Internet que o próprio Bill Gates admitiu depois ter "demorado para descobrir", e que agora mostra que veio para superar a supremacia dos grandes e pesados sistemas operacionais em pacotes. É disso que o texto fala. Quando alguem comenta no referido texto que "é como ter sua mulher grávida e escolher entre uma BMW sem rodas e um Fiat 147 funcionando plenamente", está, sem querer, apenas confirmando o que escreveu o autor. Quer dizer que a Internet é tão essencial para o computador quanto as rodas são para o carro? Há pouco mais de 10 anos atrás, anos dourados da Microsoft, isso nem de longe era verdadeiro, nenhum PC caseiro tinha Internet. O autor está corretíssimo ao alertar para isso. É preciso dar uma guinada de pelo menos 90 graus. A Apple por exemplo tem que dar a sua, se não quiser ficar apenas nos livros da história. Claro que o sistema operacional sempre será necessário até para dar o boot no computador, no entanto, cada vez faz menos diferença QUAL sistema operacional é este, mas sim se a máquina proporciona pleno acesso a Internet. É sem dúvidas uma transferência de plataforma. Do mainframe foi para a ROM dos micros, e da ROM dos micros foi para o sistema operacional em disco dos PCs, que agora está dando lugar para a Web. Esta é para os que viveram a informática dos anos 80: Alguém hoje se importa com o que contém a memória ROM de um computador? Ela ainda existe, ainda é essencial para fazer o computador funcionar, mas é simplesmente irrelevante, e inclusive relativamente mais enxuta: os primeiros IBM PCs tinham BASIC em ROM, por exemplo.  

Nenhum comentário: