Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de abril de 2007

Como será o amanhã do Second Life?

Seguindo minha mania de tentar prever o futuro, aí vão algumas coisas que eu acho que acontecerão no mundo virtual

- Óculos de VR

O óculos de realidade virtual é uma dessas promessas antigas da ficção científica que demora a "pegar". Chega a ser de se estranhar que com o sucesso enorme dos jogos de primeira pessoa até hoje esse tipo de dispositivo não tenha feito sucesso. Provavelmente o problema é que a tecnologia de display disponível ainda não permitiu fazer um óculos de realidade virtual que de fato convença as pessoas a substituirem o monitor de vídeo, afinal os jogos mais novos mesmo em placas de vídeo parrudas sempre ficam meio lentos nos monitores, imagina você ter que controlar algo com ainda mais resolução gráfica, para tomar toda a visão periférica do usuário, e com dois displays ao mesmo tempo, já que são necessárias duas imagens, uma para cada olho, para fazer o efeito tridimencional. Mas com o Second Life talvez isso seja diferente. O próprio SL é um tanto lento, por precisar buscar dados da Internet ao invés do HD, então talvez um óculos de realidade virtual finalmente dê certo, e por passar a ser utilizado em aplicações sérias dentro do SL, deverá substituir o mouse. Com o tempo os jogos (jogos mesmo) vão se adaptando à nova interface de controle.

- E-books pelo SL

Eu acredito já a algum tempo que o papel eletrônico em substituição a livros e revistas em papel convencional será uma das maiores revoluções instantâneas da história da informática. Com o Second Life, um dispositivo portátil para leitura agradável de textos com algumas imagens faz ainda mais sentido. Se vê no mundo virtual cada vez mais publicações para leitura na forma de livros virtuais que mudam de página clicando sobre eles. Os livros dentro do SL podem ser lidos chegando-se bem perto deles ou utilizando-os no modo HUD (heads up display). Veja que  a leitura não é nem de longe tão confortável quanto um livro de papel de verdade. Com um leitor de livros eletrônicos físico, essas publicações poderão ser transferidas diretamente do mundo virtual para o dispositivo, permitindo uma leitura mais tranquila, e resolvendo o problema do SL quanto a publicação escrita, que acaba por ser até mesmo menos conveniente que a leitura na Web. Como exemplificado também em relação ao óculos de realidade virtual, a necessidade de integração entre o mundo virtual e dispositivos do mundo real só aumentará, e a Linden Lab ou terceiros provavelmente possibilitação a integração direta entre o cliente do Second Life e esses diversos dispositivos.

- Browser rodando aplicações WEB 2.0

A Linden Lab já anuncia há um bom tempo o desenvolvimento de um browser para o mundo virtual baseado no Firefox. Talvez a demora seja porque a Linden teme pelo que poderá acontecer se esse browser puder ser aplicado na superfície dos prims: Já que o envio de imagens para o mundo virtual é pago (10 L$ por imagem), as pessoas começariam a utilizar browsers como textura para os objetos, desperdiçando banda e não pagando por imagens. Mas só o que eu tenho a dizer é que essa integração com a Web será algo que irá revolucionar totalmente o Second Life, e portanto a Linden não pode deixar de fazer isso o mais rápido possível. As possibilidades do uso dos brosers dentro do mundo virtual são infinitas. Todos os sites se tornarão colaborativos, podendo haver coisas como navegação colaborativa e uso de aplicações Web 2.0 colaborativo. Será uma poderosa transição entre os dois mundos.

- Mame do futuro

Em tecnologia, eu sempre gostei de viajar lá do passado até bem distante no futuro, até porque lembrar dos acontecimentos do passado é uma excelente maneira de tentar prever o futuro. Com meus 34 anos de idade e mais de 20 de informática, curto muito nostalgias tecnológicas, e recentemente adquiri um CP200 pelo Mercado Livre, que foi meu primeiro computador e que mantenho como um "troféu" numa estante aqui em casa. Na minha infância eu também jogava muito fliperama, e por esse motivo de vez em quando eu adoro brincar com o MAME, emulador de ROMs de jogos de fliperama, principalmente os mais antigos. Hoje em dia a molecada se liga mais é em lan-houses, mas uma das características do mundo dos fliperamas nos anos 80 era aquele ambiente cheio de beeps misturados e musiquinhas parecidas com celulares monofônicos tocando ao fundo. Me parece óbvio que vou poder reviver aqueles saudosos tempos com um fliperama virtual em breve, quando o Linden Script se tornar veloz o bastante e for possível emular máquinas dentro do mundo virtual. Eu imagino isso: um fliperama completo no SL com as várias máquinas, cada uma emitindo seu próprio som, com direito a "olheiros" (aqueles chatos que ficavam vendo você jogar) e tudo. E talvez até tenha que pagar 1 L$ para poder brincar.

- Jogos lançados por empresas de games dentro do SL

Com o sucesso, as outras empresas de software se rendem, e provavelmente jogos de primeira pessoa feitos por empresas de nome começarão a serem lançados "para Second Life". Claro que isso exigirá que primeiro quem estiver controlando o Second Life no futuro (seja a Linden ou usuários, caso os servidores se tornem open source tal qual prometido pela Linden) melhore muita coisa do mundo virtual, como por exemplo possibilite uma execução de scripts mais veloz, maior controle sobre as dinâmicas, etc. Eu imagino simuladores de avião e carros rodando dentro do SL, com controles completos. Mas tudo pode começar com algo mais simples, como por exemplo um "Myst" para Second Life.  

- Lojas com modelos 3D para venda em L$ de produtos reais

A facilidade para se utilizar os linden dólares fará com que empresas comecem a vender produtos reais a preços virtuais, com direito a fazer um "test drive" virtual o mais realista possível antes de pagar.

- Reprodução de cidades reais dentro do SL
    
Sei lá quem vai ser o maluco, mas alguém deverá lançar reproduções detalhadas de cidades reais, com prédios e monumentos nas mesmas proporções e localidades da cidade real, inclusive bairros residenciais, que talvez serão controlados por terceiros, provavelmente moradores dos locais no mundo real. Pra que isso? Ainda não sei ao certo, mas acho que vai acontecer. 

Um comentário:

Anônimo disse...

Marco, blz?
Tipo lendo seu blog, vi que vc e usuario do Second Life, ja ouvi falar sobre mas nunca usei, pretendo criar uma conta, e como existe a versao EUA e a BRA, gostaria de saber qual voce me recomendaria.