Pesquisar este blog

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Vídeo ao vivo: próximo passo da revolução dos vídeos online?

Tenho acompanhado desde o início o crescimento da rede de "shows caseiros ao vivo" promovida pelo site Justin.tv. O cara começou vendendo sua startup Web 2.0, que produzia um calendário online, e investindo em uma infraestrutura para publicação de "lifecasts", que são uma versão mais avançada das webcams ao vivo como a da garota americana que exibia sua rotina dentro de casa e que inspirou programas de TV como o BigBrother.

A diferença é que os lifecasts de agora são portáteis. Com um notebook na mochila, uma conexão EVDO por celular, e uma câmera montada em um boné, Justin.tv transmite em tempo real e em visão de primeira pessoa todos os acontecimentos de sua vida, mesmo quando está longe de casa.

E não é só ele. Seu site abriu espaço para outros "lifecasters" que também andam por aí com câmeras na cabeça. Um caso bem peculiar é o do famoso "Naked Cowboy", aquele americano que fica dançando só de cueca em plena Times Square, e que também resolveu mostrar seu dia-a-dia na rede.

Alguns lifecasters não transmitem 24 horas por dia, se limitando a "entrar no ar" apenas quando suas vidas saem do corriqueiro.

Na página de cada lifecaster há também um bate-papo aonde os espectadores discutem sobre os acontecimentos da vida alheia, além de ser possível também conversar com o próprio lifecaster, caso este esteja disponível.

Eu pessoalmente sempre nutri uma certa atração por transmissões de vídeo ao vivo na Internet, desde a época em que elas mostravam apenas paisagens famosas ao redor do mundo, como as tantas que podem ser encontradas em sites como o Earthcam.com, e acredito que a história da televisão convencional vai se repetir no mundo do vídeo democratizado, feito pelas pessoas comuns: depois das gravações nos Youtubes da vida, virão também as transmissões ao vivo. Alias sites como YouTube já deviam estar se antecipando para isso...

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Windows Vista ainda não tem maturidade suficiente

O meu laptop veio com Windows Vista Home Premium. A primeira coisa que percebi é que uma série de joguinhos menores não rodam nele. Sempre dá erro de "Memory could not be read". Só jogos maiores funcionam. Os drivers da Nvidia por sua vez são muito preliminares (assumidamente), e não controlam todo o potêncial da placa de video como fazia no XP. Além disso tudo fica mais lento, em alguns casos muito mais lento, mesmo tirando todos os efeitos especiais da interface Aero. Com Windows Vista meu laptop estava rodando praticamente na mesma velocidade que o meu desktop anterior, enquanto que o XP o deixou muito mais rápido que o desktop.

Enfim, agora estou muito mais feliz com meu novo computador. Fiz o downgrade pro Windows XP. Não recomendo Windows Vista de jeito nenhum por enquanto.

terça-feira, 17 de julho de 2007

E eu disse adeus ao PC desktop...

Mais ou menos 18 anos depois do meu primeiro PC desktop, que era um 386sx, comprei meu primeiro notebook e vendi o AMD 2800+, que provavelmente foi o meu último desktop. As vantagens do notebook, mesmo quando usado em casa, são várias. Vamos lembrar algumas: 

- Sempre que é desligado eu baixo a tela do notebook, o que evita o acúmulo de poeira no teclado e na tela. 
- Posso usar o computador na sala, no quarto, na cozinha, deitado na cama, sentado no sofá, enfim. Um roteadorzinho wi-fi permite acessar a Internet sem fios pela casa toda com facilidade.
- Embora eu normalmente deixe o laptop ligado na tomada, a bateria automaticamente serve também como um excelente nobreak caso hajam falhas na distribuição de eletricidade.
- Adeus àquela enorme quantidade de cabos atrás do gabinete, que eram inclusive sempre difíceis de acessar!
- O laptop dá um excelente player de DVD portátil em viagens (especialmente se tiver uma bateria boa como a de 12 células que veio no meu).
- O laptop pode ser facilmente usado também como um poderoso HD portátil para transferir grandes quantidades de dados, e nem precisa passar pro computador depois, já que já é o próprio.
- Gostei do teclado do notebook, silencioso, e eu nunca usei teclado numérico mesmo.    
- Alias ele é bem mais silencioso que um desktop normal, tanto em relação a ventiladores como discos rígidos.
 
Enfim. Durante esse tempo todo eu não tive notebook porque eram muito caros e as especificações muito mais baixas que as dos desktops. Mas hoje em dia não vejo porque não fazer a troca. Quem não gostar do teclado pode conectar um externo via USB com facilidade, assim como acontece com o mouse. Do meu desktop eu mantive o monitor LCD de 17 que eu tinha, e que ligo no note pra usar como desktop extendido, como eu já faço ha muito tempo.

Mais uma página virada na minha história pessoal no mundo da informática. Mas eu ainda tô esperando baixar os preços dos UMPCs sem teclado, que provavelmente serão o meu próximo "form factor".

segunda-feira, 9 de julho de 2007

E mais um...

Recebi a pouco mais um boato. O de uma tal de Ana Paula Castro que "segurou o seu cérebro", e termina dizendo que "ela é loira", e que "é verídico pois saiu na primeira página do Jornal do Brasil".  

Será que "loira" não é quem acreditou e mandou isso pra deus e o mundo? Até hoje as pessoas não aprenderam que só se deve confiar em emails com LINK (eu disse LINK) para fonte confiável?

Um LINK para a notícia no Jornal do Brasil por exemplo seria aceitável, mas só o que encontrei pelo Google foram blogs, sites de piadas e foruns com este mesmo texto reproduzido.

E por aí vão preconceitos, calúnias, ludibriações, alarmes falsos, e etc.
 
Mas o mais triste é ver que mesmo gente próxima da gente e "macaco velho" de informática cai nessas conversas, e concluir também que infelizmente os meios de comunicação livres como os blogs jamais vão competir com os jornais da mídia "oficial", pois não são nem de longe tão confiáveis quanto estes. Grandes redes de TV e jornais: não temam pois vocês não correm o menor risco de "ficar para trás". 

Mais um boato da Internet

Recebi hoje de um colega de trabalho um daqueles PowerPoint de motivação e auto-ajuda que imediatamente discordei e já sabia que era boato.
 
A mensagem, reproduzida mais abaixo, dizia se tratar de um discurso de Bill Gates.

Ora, logo Bill Gates, que recebeu em tenra idade uma empresa já com 10 funcionários (sim, a Microsoft) de mão beijada do pai, que já era um homem muito rico? Logo Bill Gates que quando não soube fazer por si mesmo simplesmente comprou feito (como no caso do DOS) desde o início de sua carreira, que ja´começou como sendo o dono da empresa? Logo Bill Gates que dá tantas vantagens a seus bons funcionários que grande parte deles sai da empresa para montar startups de sucesso?

Esse discurso não se parece nem de longe com a personalidade de Bill Gates, que sempre se apresenta com bom humor e não com tanta seriedade diante das platéias.

Mas este site http://www.snopes.com/language/document/liferule.htm afirma o óbvio: se trata de apenas mais uma lenda da Internet.

A minha opinião:

Conversa pra boi dormir. Conversa de gente que quer que os subalternos ralem aceitando fácil o pouco que lhes é oferecido. 

Eu pessoalmente prefiro algo como "a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte". Certamente uma nação não se desenvolve plenamente na base de uma mentalidade rigida, "militar" por assim dizer. 

O site que diz ser um boato não entende o porque de terem atribuído a fala a Bill Gates. O motivo não pode ser mais óbvio: claro que o "homem mais rico do mundo" é o primeiro "exemplo" que alguém querendo passar uma mensagem dessas iria escolher.

Gente que escreve algo assim devia é estar extinta a muito tempo, e acordar para exemplos como o da Google. Quem já viu as fotos do Googleplex sabe do que eu estou falando. Os EUA estão anos luz a nossa frente porque lá as pessoas são muito mais estimuladas a pensar, a ter idéias. E se uma "sala de meditação", com música ambiente e uma confortável poltrona, forem boas para isso, certamente a empresa americana adota, pois eles são espertos, querem ser é os donos das patentes, e não da "mão de obra barata", como esse nosso Brasil insiste em ser.

Segue a mensagem que recebi:

"O reitor de uma Universidade do Sul da Califórnia enviou um e-mail para a Microsoft convidando Bill Gates a fazer um discurso no dia de formatura, incentivando os formandos no início de suas carreiras e, para sua surpresa, Bill Gates aceitou. Esperava-se que ele fizesse um discurso longo, de mais de uma hora, afinal ele é o dono da Microsoft e possuiu a maior fortuna pessoal do mundo! Mas Bill foi extremamente lacônico, falou apenas durante 5 minutos, subiu em seu helicóptero e foi embora.

A seguir, as 11 regras que ele compartilhou com os formandos naquela ocasião:

"- Vocês estão se formando e deixando os bancos escolares, para enfrentarem a vida lá fora.  Não a vida que você querem, não a vida que vocês sonharam ter, a vida como ela é.  Você estão saindo de um mundo educacional que está pervertendo o conceito da educação, adotando um esquema que visa proporcionar uma vida fácil para a nova geração.  Essa política educacional leva as pessoas a falharem em suas vidas pessoais e profissionais mais tarde.  Vou compartilhar com vocês onze regras que não se aprendem nas escolas:

Regra 1: A vida não é fácil.  Acostume-se com isso.

Regra 2: O mundo não está preocupado com a sua auto-estima.  O mundo espera que você faça alguma coisa de útil por ele (o mundo) antes de aceitá-lo.

Regra 3: Você não vai ganhar vinte mil dólares por mês assim que sair da faculdade.  Você não será vice-presidente de uma grande empresa, com um carrão e um telefone à sua disposição, antes que você tenha conseguido comprar seu próprio carro e ter seu próprio telefone.

Regra 4: Se você acha que seu pai ou seu professor são rudes, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você.

Regra 5 : Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição social.  Seu avós tinham uma palavra diferente para isso.  Eles chamavam isso de "oportunidade"

Regra 6: Se você fracassar não ache que a culpa é de seus pais.  Não lamente seus erros, aprenda com eles.

Regra 7 : Antes de você nascer seus pais não eram tão críticos como agora.  Eles só ficaram assim por terem de pagar suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são "ridículos".  Então, antes de tentar salvar o planeta para a próxima geração, querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente arrumar o seu próprio quarto.

Regra 8: Sua escola pode ter criado trabalhos em grupo, para melhorar suas notas e eliminar a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim.  Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar para ficar de DP até acertar.  Isto não se parece com absolutamente NADA na vida real.  Se pisar na bola está despedido... RUA! Faça certo da primeira vez.

Regra 9: A vida não é dividida em semestres.  Você não terá sempre férias de verão e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período.

Regra 10: Televisão não é vida real.  Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho ou a boate e ir trabalhar.

Regra 11: Seja legal com os CDF´s - aqueles estudantes que os demais julgam que são uns babacas.  Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar para um deles."

Reflita agora sobre as palavras do Bill e pense em como isso se enquadra no conceito de Valor e Honra."