Pesquisar este blog

domingo, 30 de dezembro de 2007

Como sobreviver só online

Pois é... nessa época em que Eees fazem tanto sucesso, com seus parcos 4GB de SSD, aplicações na Web são a própria razão de ser de um computador destes, então resolvi compilar uma lista de aplicações, utilitários, jogos, etc. feitos para rodar via Web, sem precisar instalar nadinha. Você vai ver que em muitos casos "é melhor assim"!

Vamos lá:

Pra começar, o "sistema operacional". Agora tanto faz se é Linux, Windows "lite"... Você organiza seus programas e utilidades na própria Web. Como? Minha recomendação é o iGoogle. Porque? Porque ele tem as melhores aplicações agregadas da própria Google, com os melhores gadgets disponíveis para facilitar o acesso a essas mesmas aplicações. Faça do iGoogle a sua "página inicial" no browser.

O seu novo "Start button" é o Google bookmarks. Nunca mais use o "Favoritos" do browser pois eles: 1- podem se corromper, 2- podem serem apagados junto num eventual problema no HD, 3- ficam restritos ao computador aonde são mantidos e não são facilmente acessíveis em outros lugares.

Adicione o gadget do Google Bookmarks no seu iGoogle.

Legal, agora você pode acessar seus favoritos aonde for, sem precisar carregar pendrive ou coisa parecida, nem se preocupar com seus favoritos se apagarem acidentalmente. Que tal fazer o mesmo com alguns de seus arquivos? Basta usar o Box.net, que também conta com um ótimo gadget para fácil acesso pelo iGoogle.

Seu email obviamente é Gmail, pois você não perde tempo configurando email em todos os lugares que vai e nem lidando com os problemas de caixas postais corrompidas que vivem acontecendo, e além disso, acima de tudo, já sentiu o saborzinho do recurso de agrupar mensagens de um mesmo assunto no Gmail. Claro que a Google também tem um ótimo gadget para o serviço, exibindo seu inbox atualizado toda vez que você abrir sua home page.

Pois é... home page combina com se manter atualizado... A idéia de abrir a home page e ver seus emails e notícias atualizadas numa mesma página é ótima. Nada mais óbvio que adicionar também os gadgets da Google para o Reader e para o News.

Participa de grupos de discussão? Adicione também o gadget do Google Groups e não perca mais nenhuma nova mensagem.

Mas a utilidade da home page personalizável não para por aí. Ela pode também ajudar a organizar sua vida. Ah, vai dizer que você ainda não aposentou a agenda em papel? Já passou da hora de você experimentar o Google Calendar. Eu uso há mais de um ano e acesso a minha agenda até no celular, já que eles disponibilizam uma versão reduzida para este tipo de dispositivo. Ah, e obviamente há também um gadget que exibe um prático calendariozinho no seu iGoogle e permite inclusive adicionar novos compromissos.

Ainda na linha dos "organizadores de vida" tem também o gadget do Google Notebook, para rápidas ou mesmo longas anotações a qualquer momento, gravadas automaticamente na Web, e acessíveis de qualquer lugar que tenha Internet.

Agora, se você quer digitar texto de verdade e até abrir documentos do Word, e quer continuar a usufruir dos benefícios de não instalar nada, de compartilhar documentos via Web com apenas um link, de acessar os textos em qualquer lugar sem precisar de pendrive, de auto-gravação sem precisar apertar salvar, e até de editar documentos em conjunto com outras pessoas ao vivo, é claro que a Google disponibiliza uma "pasta Meus Documentos" para o iGoogle, o gadget para Google Docs, que também exibe suas planilhas e apresentações online.

Mas a vida não é feita só de Google e produtividade. Está na hora da diversão. Outra coisa legal para se ter na home page são as tirinhas em quadrinhos. Este gadget permite colocar dezenas delas na mesma página. Recomendo configurar uma aba especialmente para "Comics", com apenas uma coluna.

E os jogos online? Existem milhares de jogos em Flash e Shockwave pela Web a fora, a maioria bem simples mas divertidos, dependendo muito do gosto de cada um. Mas o melhor desses sites de jogos na Web é a variedade. Sem precisar instalar nada, você joga uma coisa diferente a cada instante e não para nunca. Eis a diferença dos jogos online. Um bom exemplo de site assim é o Miniclip.

Todos os jogos em shockwave são simples se comparados a jogos instaláveis, mas resolvi procurar apenas os mais sofisticados deles, e eis o resultado:

Saramost é um adventure com animações e cenários muito bem feitinhos e divertidos. Você vai clicando nas coisas e esquece o tempo passar. Pena que a versão gratuita é curta e eu já vou avisando que você vai ficar louco para pagar pela continuação. Mesmo assim vale a pena conhecer.

Tem também a excelente série de shooters de scroll horizontal em 2D Drakojan Skies.

Você quer 3D? Crazy Karts se parece com muitos dos jogos mais novos de videogames. Ainda de corrida tem também o Hot Rods, com oponentes bem competitivos, e um clone do antigo Motoracer do PC, o Braap-Braap . E mais um joguinho que mostra o potencial do Shockwave é o Oversize XXL.

Senti falta de um shooter em primeira pessoa tipo Counter Strike. Por incrível que pareça simplesmente não encontrei. A julgar pelos jogos de corrida em 3D o Shockwave é sim capaz de fazer.

Pois é... o tempo vai passando e mais e mais máquinas antigas vão sendo emuladas, para o deleite dos saudosistas de plantão. E quanto mais antiga a máquina, mais facilmente é emulada, chengando ao ponto de rodar dentro do browser Web. Como tenho mais de 30 anos, eu curto as dos anos 80, e faz um tempinho que não baixo mais emuladores, pois há na Web emulador de Atari, TRS Color, Fliperamas, Commodore 64, Apple 2, ZX Spectrum, e tantos outros...

Agora, você sabia que é possível converter arquivos em diferentes formatos via Web? Arquivos de audio, de vídeo, de fotos, compactados, etc. Chega de procurar mil programinhas para fazer isso. Taí algo que encontrei melhor na Web através do Zamzar, que dispõe de uma grande gama de formatos.

Acessar MSN, ICQ e Google Talk aonde você for com uma só conta no Meebo é outra vantagem do software online.

Para quem desenvolve sites e quer dar uma cara "Web 2.0" pra eles, My cool button e Rounded Cornr são uma mão na roda. O primeiro permite criar os típicos botões com degradê, e o segundo os típicos cantos arrendondados, de forma super fácil.

Precisa fazer rápidas edições de imagens? FotoFlexer certamente vai surpreender você. O site conta com efeitos e ferramentas que não se encontra nem em software instalável para edição de imagens. É experimentar todas as ferramentas para crer.

E quem já brincou com aquele conversor de bitmap para vetorial do Corel Draw, vai adorar saber que existe uma ótima ferramenta para isso na Web. É o Vector Magic.

Esses computadores mais dedicados a navegar na Web geralmente tem pouco espaço pra guardar coisas. E se eu quiser ouvir "aquela" música? Será que terei que esgotar a memória jogando toda a minha coleção de MP3 lá? Porque não criar uma playlist online no eSnips, site que por enquanto permite encontrar muita música, ou no Last.fm... Também pode adicionar na sua home page um simpático rádio e uma televisão.

E é assim... A informática vai se tornando cada vez mais online, e a liberdade para tentar novos programas apenas aumenta. É como se tivéssemos todos esses softwares e muitos outros já pré-instalados na máquina.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Previsões para 2008

Assim como fiz para 2007, aí vão minhas previsões para 2008:

- O lado sério do Second Life começa a aparecer. Empresas aprendem que no Second Life não é importante apenas "estar lá", mas criar interatividades inovadoras dentro do ambiente virtual. Esse amadurecimento aconteceu com a Web no passado, acontece também com o Second Life.

- Segundo já prometido pela Linden Lab, em 2008 deverá ser finalmente lançado o browser Web aplicável a superfícies de prims (objetos 3D) dentro do Second Life, com a possibilidade de navegação em conjunto com outros participantes do mundo virtual. Esta deverá ser, como já previ antes, uma das novidades mais revolucionárias já surgidas no Second Life, com mil e uma possibilidades.

- Provavemente a Google acabará lançando algo no mesmo sentido do Second Life, talvez integrado ao Google Earth.

- O Eee PC já está fazendo estrondoso sucesso e é a prova viva do emagrecimento do PC, da tendencia à portabilidade da Internet, e da transição para a era aonde a Internet se torna mais importante que o software instalável e que o hardware pesado. Em 2008 serão inúmeros lançamentos de laptops leves e baratos. O Eee PC desktop, também anunciado pela ASUS, provavelmente fará pouco sucesso, evidenciando mais ainda a tendêcia ao distânciamento dos computadores de mesa.

- Continuo apostando muito no leitor portátil de ebook, mais exatamente no papel eletrônico. Será que acontecerá em 2008? Já tem tudo que precisa para acontecer. Só o que falta é lançarem um produto simples e mais barato, acredito eu.

- Os notebooks continuarão sua escalada de adoção em massa e a substituirem os desktops, e veremos cada vez mais pessoas em restaurantes com um notebook em cima da mesa. Será tão comum quanto o celular "tijolão" quando começou a onda do celular.

- A TV Digital do governo deverá se mostrar um fiasco, se é que alguém sequer se lembrará dela.

- A videoconferência via celular será muito pouco utilizada, mais como teste e brincadeira, e quase nunca para conversar de verdade. A tendência que eu vejo é do contrário: as pessoas passarem cada vez mais da voz para, pasmem, o texto. O texto é muito mais eficaz. Texto pode ser gravado, lido e re-lido, conter números e palavras difíceis mas com fácil entendimento, e sem compromisso de resposta imediata, o que permite a reflexão da pessoa antes de responder, além de outras vantagens. As novas gerações usam cada vez mais mensagens SMS ao invés de falar no telefone, e isso no meu ver só tende a ser cada vez mais frequente. Porque o telefone começou como um aparelho estritamente de voz, e foi assim durante décadas? Simples: não era digital, e por isso não permitia envio de texto.

- A adoção das aplicações online em substituição ao que é instalável deverá continuar bem gradual em 2008. Eu culpo a Microsoft e sua falta de vontade de que isso aconteça, já que ela continua sendo a empresa mais capaz de promover essa revolução. Acontecerá de qualquer forma, vem acontecendo desde que as pessoas trocaram o Outlook pelo Gmail sem nem perceberem, mas devagar. Em 2008 o lento processo apenas prosseguirá, provavelmente, sem nenhum grande salto, a não ser que dê a louca na Microsoft, o que me parece pouco provável.

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

O fiasco da TV Digital

Sabe porque ninguém sabe nada direito sobre a TV Digital? Porque o governo não se arrisca a prometer coisas que não poderão ser cumpridas. A TV Digital do governo não tem canal de retorno. Ela usa antena UHF para receber o sinal. Mas, e para enviar? Eles dizem que "poderá ser usado o telefone", talvez, num futuro remoto. Ora, pobre já vai ter que pagar relativamente caro por um conversor que trará pouca vantagem para ele, pois a única vantagem será uma imagem apenas um pouco melhor, já que a TV do pobre não tem alta resolução e o som é mono de qualquer jeito, isso quando está em boas condições. A TV Digital do governo não serve nem sequer ao rico que pode pagar pelo conversor, pela TV de alta resolução, e pela conta telefônica. O motivo é simples: veja o que as operadoras de TV a cabo já estão fazendo: estão aproveitando todo o alvoroço em torno da TV Digital para fazer propaganda da TV Digital deles próprios, que óbviamente é paga, e esta é muito melhor que a do governo, pois tem realmente canal de retorno: o cabo. Portanto haverá muita interatividade na TV Digital da Net, mas quem já usou Internet via dial-up sabe o que se pode esperar do uso de telefone como canal de retorno na TV Digital do governo.

O governo podia, ao invés de dar mais trela para as emissoras de TV aberta (sabe-se lá em troco de que em 2008, né), promover a verdadeira democratização dos meios de comunicação: criar uma infraestrutura de acesso gratuito à Internet. Conseguir computadores para pobres é fácil: a todo momento milhares de computadores usados estão sendo descartados nas empresas e casas. Não seria difícil prover esses computadores usados até mesmo de graça para os mais pobres, que só de saberem que "há uma Internet gratuita funcionando" certamente iriam se interessar automaticamente. E para navegar na Internet, participar de foruns de discussão, criar blogs, etc., não é necessário mais do que um computador usado. Muito melhor do que gastar bilhões (isso mesmo) do nosso dinheiro para dar uma sobrevida para essa mídia ultrapassada e monopolista de mão única que é a televisão.

Sistemas a bordo...

Quem será o lamer que inventou o termo "sistema embarcado", como se fosse alguma coisa relacionada a barcos? O que isso tem a ver com "embedded system", que é o termo em inglês para computadores embutidos em outras máquinas e dedicados a estas? Que eu saiba, e segundo confirma dicionários como o Webster, "embedded" só tem um significado: "embutido". Obviamente o correto seria "sistema embutido". Como pode até publicações importantes usarem o termo "sistema embarcado"? Que coisa ridícula! Se eu for fazer alguma palestra sobre isso certamente falarei "embutido".

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Coisas que aconteceram em 2007

Ano acabando... Me lembrei das previsões que fiz ainda em 2006 para o ano de 2007. Vamos ver os resultados...

"- O Windows Vista não vai ter uma adoção muito grande pois sistemas operacionais estão ficando para segundo plano."

Essa aí foi perfeita. É só ver o que andam falando do Windows Vista por aí. Muita gente fazendo downgrade para XP por achar o Vista mais pesado que a máquina nova que compraram. Ocorre que, como eu disse, sistema operacional não é mais tão importante quanto acessar a Internet aonde quer que se vá, e as pessoas estão preferindo comprar um notebook menos parrudo e mais acessível do que fazer upgrade no computador de mesa "só para rodar o novo Windows" como muito comumente se fazia antigamente.

"- Não haverá um GoogleOS, pois o OS da Google é a própria Web, e a Google não é boba de tentar competir com a Microsoft em sistemas operacionais quando estes, repito, vão ter cada vez menos importância."

Acertei também. Em gênero, número e grau, modéstia a parte. Muita gente em 2006 apostava num "Google OS".

"- Aproveitando o desleixo proposital da Microsoft em relação ao Internet Explorer, alguém deverá finalmente lançar um browser voltado para a Web 2.0, com um Javascript mais robusto, capacidade de impressão decente, funções voltadas para comunicação assíncrona com o servidor e desenho de janelas e outros objetos. "

Infelizmente o browser que eu sonho ainda não surgiu. E minha opinião é que infelizmente ninguém além da Microsoft teria competência hoje para fazê-lo. Talvez a própria um dia resolva lançar. Ela ainda tem chance de dominar a era da Internet, por incrível que pareça, simplesmente porque só ela tem poder suficiente para isso. Mas não sei se ela hoje em dia é capaz de ter a ousadia necessária. Aparentemente não. A Microsoft parece mesmo ser a nova IBM.

"- A Microsoft não terá mais como evitar, e lançará finalmente seu pacote do tipo office, com planilha e editor de textos, para Web."

Como eu disse anteriormente a Microsoft parece mesmo ser a nova IBM, e a não concretização desta previsão em 2007 é um forte indicativo disso. A empresa de fato parece não ter pretensões de ser "a inovadora no mundo da Internet" e parece preferir se dedicar a outros nichos de mercado, além de manter o PC igual ao que era antes pelo tempo que conseguir.

Essas minhas previsões sobre a Microsoft foram pra mim minhas últimas esperanças em uma empresa que no passado foi adorada por todos nós, na época que ela nos trouxe para a era das interfaces gráficas. Mas se acostumou demais com isso e parou no tempo.

"- O laptop de 100 dólares voltado para crianças terceiro-mundistas será um fracasso, se não imediato, a curto ou médio prazo, mas servirá de ideia para o desenvolvimento de e-books e PCs magros comerciais que, estes sim, venderão cada vez mais, para públicos mais afortunados."

Caramba viu... Até hoje esse tal laptop se dá ao luxo de ser uma promessa, e ainda por cima quebrando a principal das promessas: custar 100 dólares. E eu acertei em cheio!!! Olha aí o Eee PC da ASUS, comercializado para "pessoas comuns" ao invés de crianças terceiro mundistas, e fazendo um sucesso estrondoso, que está estimulando muitas empresas a lançarem coisa semelhante.

Infelizmente o ebook ainda é apenas "promissor". E o problema é óbvio: o preço. A Amazon lançou o ebook reader dela, mas ainda com o mesmo preço salgado de sempre... Mas ainda acredito muito no potencial de um dispositivo assim para revolucionar o mundo, quando tiver preço de banana.

"- O livro eletrônico deverá começar sua revolução em 2007. O novo celular da Motorola com tecnologia de papel eletrônico (Motofone) deverá fazer um sucesso que talvez atinja inclusive o mercado para o qual ele não é voltado -das classes mais abastadas- e isso deverá empolgar o mercado em relação ao papel eletrônico. "

Já foi respondido acima. O tal do Motofone talvez até tenha vendido bem, não sei, mas fato é que passou desapercebido, já que quase ninguém sabe que o dito cujo usa tecnologia de papel eletrônico... As operadoras podiam ter feito propaganda dele explicando isso, mas não fizeram.

"- O desenvolvimento de aplicações Web 2.0 para gestão de empresas talvez tenha seu início em 2007, e ferramentas para desenvolvimento exclusivamente voltadas para a Web 2.0 como o ambiente de desenvolvimento Morfik talvez comecem a ganhar peso no mercado."

Que pena que o Morfik, provavelmente por ser australiano e não norte-americano, não fez o merecido sucesso. Tem também o problema de a empresa que o faz cobrar caro demais pela versão para uso comercial.

Mas enfim, fato é que a Web 2.0 ainda não deu o salto que devia dar (embora já seja hoje uma certeza e não uma dúvida), simplesmente porque ninguém tem competência suficiente para fazê-lo, repito. A Microsoft poderia, mas não quer.

Claro que se der tempo ao tempo, empresas menores ou mesmo a Google conseguirão chegar lá, mas está demorando mais do que poderia. Eu culpo a Microsoft.

"- 2007 deverá marcar também o ano em que o acesso a Internet via celular será tão importante quanto fazer telefonemas, e peça chave no sucesso das campanhas das operadoras."

Sim, se tornou peça-chave no sucesso das campanhas das operadoras, mas por enquanto como um serviço a parte ainda... A demora do leilão 3G (culpa do governo e, dizem, das operadoras também) atrasou essa evolução. Nos EUA eu imagino que já seja a mais pura realidade há um bom tempo, já que desde o início de 2007 lá já tinha várias opções de conexão 3G. Mas ei... aqui é Brasil...

"- O player de MP3 vai começar a ser deixado para trás pelos celulares que tocam MP3, com a Apple perdendo sua supremacia, mesmo que ela lance um celular dela."

heheheheh... a história mostra que apostar contra a Apple é um péssimo negócio... Não é que o celular dela (o iPhone foi lançado em 2007) fez ela ficar mais a frente do que nunca? De qualquer forma foi correto apostar que os celulares que tocam MP3 iriam começar a deixar os players para trás.

"- As vendas do iTunes também deverão estagnar em 2007, talvez inclusive entrando em declínio, evidenciando mais ainda o inevitável futuro de músicas para download a custo zero."

Estou procurando, mas não encontro números objetivos sobre as vendas do iTunes em 2007... Mas eu acredito que estejam de fato estagnando, até por não vermos eles cantando vitória. Apenas falam que ultrapassaram as vendas de CDs pela INternet, mas não encontrei comparações com as vendas do próprio iTunes em anos anteriores. O silêncio está muito esquisito... De qualquer forma sempre acreditei e continuo acreditando que música no futuro terá que ser gratuita pois ninguém mais vai querer comprar.

E termino a breve retrospectiva 2007 no mundo da informática citando os dois acontecimentos mais marcantes deste ano, no meu ver:

1- Foi o ano em que definitivamente o vídeo na Internet se tornou tão importante quanto a foto e o texto.

2- 2007 foi marcado também pela mudança de formato do PC usado em casa, eu diria. Todo mundo agora só quer saber de notebook, e o PC desktop está cada vez mais com uma imagem de "dinossauro".

domingo, 2 de dezembro de 2007

Depois das fotos 360º, vídeos 360º



O site da empresa responsável pelo "Street View" do Google Maps exibe vários vídeos com algo diferente: durante a visualização é possível clicar com o mouse sobre o vídeo e arrastar a imagem para os lados e em alguns casos para cima e para baixo, podendo observar a movimentação em qualquer direção desejada, como se se estivesse lá no lugar olhando a cena com total liberdade de ângulos. Alguns dos exemplos usam uma câmera parada em um ponto fixo, em movimento em um carro ou mesmo em um helicóptero. No meu ver os dias das tradicionais excursões em ônibus, daquele tipo que não para nos lugares, apenas passeia, estão contados. Imagine usar isso junto com um capacete de realidade virtual quando as conexões tiverem velocidade suficiente... Não deverá demorar muito para começarem a vender a câmera de múltiplos ângulos para o grande público e então teremos "YouTubes" de vídeos em 360º. E mais: imagine as webcams ao vivo utilizando esta tecnologia. Ver a movimentação de determinado lugar do mundo ao vivo como se se estivesse lá. Enfim, 2007 marcou definitivamente o ano em que o vídeo na Internet se tornou tão importante quanto o próprio texto e a foto, e agora já estamos livres para vislumbrar o que virá depois...