Pesquisar este blog

sábado, 26 de julho de 2008

Second Life cada vez melhor

Passei um tempo meio desligado do Second Life, mas voltei recentemente e estou gostando cada vez mais. É impressionante como está melhor. O número de usuários cresceu visivelmente. Não se pode mais dizer que o Second Life é uma terra deserta. Aonde antes sempre havia um punhadinho de gente, nos "grandes centros" do Second Life, hoje o que se vê são multidões. E aonde era deserto hoje sempre tem ao menos algum gato pingado, e isso certamente está revigorando minha fé em um futuro brilhante para o mundo virtual em 3D. Outra coisa que me animou é que eu troquei de PC. Estive fazendo comparações com o GTA San Andreas. Acho esta uma comparação interessante pois o GTA de certa forma tem muitos elementos de mundos virtuais. É um jogo que pode ter um objetivo certo, mas na maioria das vezes as pessoas jogam para passear pela cidade e fazer coisas diferentes a cada momento, tal como no Second Life. E as minhas comparações concluem que, com uma boa placa de vídeo, processador e conexão, o Second Life supera infinitamente um GTA San Andreas quando se joga com objetivo incerto, e não deixa de ter suas vantagens também quando você resolve "jogar de verdade". Com meu novo Core 2 Duo de 2,4ghz e geforce 8500GT (o que nem é tão grandes coisas), consigo rodar o Second Life Release Candidate (aquele com Windlight) em 1280x1024 com settings em High mantendo o fps acima de 20 o tempo todo, e não tenho dúvidas de que os gráficos são muito, mas muito melhores que os do GTA. Faltam alguns efeitos como aquele de calor e de névoa que tornam o GTA um pouco mais realista em vários momentos, mas isso é compensado pelo céu e água do Windlight, além do detalhamento muito maior dos objetos e avatares no Second Life. Não tem comparação em relação ao detalhamento de avatares. No Second Life as pessoas compram penduricalhos a rodo e cada um deles é altamente detalhado. As roupas são altamente detalhadas. Até a pele dos avatares no Second Life recebe cada vez mais tratamentos interessantes. Já no GTA quando se aproxima de um avatar se tem a impressão de estar olhando para um origami de papel mal pintado. A interatividade é outro ponto forte no Second Life. Tem gente que se impressiona com as inúmeras possibilidades do GTA, como por exemplo se exercitar em aparelhos de ginástica públicos. No Second Life isso é só um pequeno detalhe. O fato é que no Second Life cada objeto foi criado individualmente por alguém qualquer ao redor do mundo que teve tempo para se dedicar apenas àquele objeto em questão. Então praticamente tudo se torna clicável e permite realizar alguma ação diferente, em um nível de detalhamento que provavelmente um jogo individual completamente construído por uma empresa determinada como o GTA nunca conseguirá chegar. E se engana quem pensa que não dá para "jogar" no Second Life. Cito por exemplo corrida de carro. Sempre encontrei pelo meu caminho no mundo virtual algumas pistas de corrida. Praticamente cada ilha de empresa automobilística, seja virtual ou real, como a ilha da Mercedes, tem uma pista de corrida para "testar os carros". O problema é que antigamente no Second Life era quase impossível encontrar outras pessoas dispostas a correr junto com você por essas pistas. Pude constatar que isso mudou. Passei horas me divertindo a beça na pista da NMH motors, correndo o tempo todo com até 2 outros participantes juntos. E é interessante como é emocionante apostar corrida no Second Life, quando se tem um bom PC. Há alguns piripocos habituais como lag em alguns poucos momentos, mas como a pista ocupava só um "SIM", não tinha muita coisa pra ficar carregando o tempo todo. Por incrível que pareça a jogabilidade estava melhor que de muito jogo específico de corrida para PC. E não há limites para os carros. Cada hora aparecia um oponente diferente, de motos a carros bem peculiares. A pista tem script de contagem de recordes de volta mais rápida e realmente não deixou nada a desejar em diversão. E isso é apenas uma pequena possibilidade no mundo infinito do Second Life. Músicas de fundo? O Second Life tem rádio até brasileira específica do mundo virtual, como a da Ilha Brasil. É muito interessante procurar por eventos também. Você pode a qualquer momento assistir a shows musicais ao vivo de verdade de pessoas que nunca ouviu falar antes, com direito a interatividade com a platéia. Fora que cada avatar que você vê é uma pessoa real. Mais multiplayer que isso, impossível. E cada avatar tem características exclusivas. Em um GTA por sua vez a todo momento você vê avatares repetidos, e a burrice artificial impede qualquer interatividade interessante com eles. No Second Life o bate papo por voz é corriqueiro. E junto com o crescente número de usuários, é fácil notar que tem gente se animando em investir cada vez mais no mundo virtual. Se procurar um pouquinho só logo vai encontrar ilhas com cenários tão bem feitos que realmente fazem você preferir dedicar algumas horas ao mundo virtual do que sair de casa debaixo do sol. Enfim, continuo não duvidando de um futuro brilhante para softwares deste tipo. A tendência parece ser o crescimento de uma bola de neve aonde cada vez mais usuários vão estimulando o investimento cada vez maior em construções cada vez mais interessantes dentro do mundo virtual, o que chama ainda mais usuários para dentro. O sucesso do GTA como "jogo sem objetivo certo" mostra que esse tipo de coisa atrai as pessoas de um modo geral, e portanto basta os PCs terem poder suficiente para que se torne inevitável a adoção em massa do mundo virtual online.