Pesquisar este blog

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Previsões para 2009

Como de costume, aí vai mais uma edição das minhas previsões anuais.

- Os mundos virtuais, ao contrário do que alguns podem querer acreditar, estão em franco crescimento. Após a euforia de 2007, o Second Life continua obtendo um crescimento que pode ser agora chamado de "mais autêntico", não tão dependente de notícias sensacionalistas na mídia. E como o software fica cada vez melhor e as máquinas dos usuários e conexões estão cada vez mais preparadas para rodar, acredito que o mundo virtual tende a continuar crescendo até que a mídia seja obrigada a voltar a falar sobre ele. O lançamento da Sony para o Playstation deverá mostrar algum sucesso, e isso acostumará o público com os mundos virtuais. Mas esse público não se contentará com os limites impostos pela Sony, e isso deverá trazer mais gente ainda para alternativas como o Second Life com o tempo. O Sony Home é portanto um excelente meio para que os mundos virtuais se popularizem. Acredito que já em 2009 a mídia será obrigada a voltar a falar em Second Life.

- Algo que deverá marcar 2009 são os sistemas operacionais voltados para acesso rápido à Web em portáteis. Sistemas operacionais do tipo "instant on" como o gOS Cloud deverão fazer sucesso nos HDs e SSDs dos netbooks, com boots ultra-velozes levando o usuário diretamente para a tela do browser web.

- Já no hardware eu acredito que 2009 será o ano do "tablet netbook", ou talvez "net-tablet". Pra mim o caminho lógico dos netbooks é a tela sensível ao toque e sem teclado, ou com teclado destacável.

- Em 2009 deverá ocorrer uma banalização de vídeos e de televisão online. 2007 foi o ano em que o vídeo na Internet se tornou tão importante quanto a foto e o texto. Acredito que em 2009 ocorrerá o que eu chamo de "banalização" desse tipo de mídia. Será tão fácil transmitir vídeo que se tornará inevitável a possibilidade de se assistir de tudo via Web, em muitos casos inclusive em qualidade HD. Televisão se tornará opcional para muitos.

- 2009 deverá ser também o ano da guerra de plataformas para Web. Silenciosamente as empresas estão aperfeiçoando suas armas para esta guerra. Na frente de batalha, de um lado vem obviamente a Google com seu browser Chrome de javascript veloz, pronto para rodar aplicações AJAX, e características de sistema operacional como a arquitetura de multi-processos. De outro vem a Adobe e suas ferramentas de desenvolvimento, com direito também, assim como a Google, a uma suite própria completa de aplicações que muitos ainda não conhecem mas que mais cedo ou mais tarde deverão estar dando as caras. Quem vencerá essa guerra? AJAX ou Flash? Quem sabe a Microsoft seja obrigada a entrar na briga também, com seu Silverlight, ou com suas iniciativas AJAX, aproveitando a oportunidade da divisão entre os inimigos, como no ditado "dividir para conquistar". Será uma batalha fantástica para quem curte computação em nuvens.

- Formas de tornar telas pequenas maiores deverão também marcar 2009. Celulares com projetores e talvez até capacetes "head mounted display", deverão servir tanto para crescer as imagens de dispositivos pequenos como também para imergir os usuários em jogos e mundos virtuais.

Claro que a crise mundial abala um pouco todo esse otimismo. Mesmo assim não acredito que as coisas irão "parar".

Por último... fica mais uma vez a torcida para que seja dessa vez também a revolução do ebook, do papel eletrônico. Mas este eu já cansei de apostar e não vingar. Mas há de ocorrer um dia!!!

Atualização em 12 de janeiro de 2009:

Acho que ainda dá tempo de adicionar mais uma previsão que tem sido recorrente nas minhas idéias: eu sempre acreditei que o sucesso das vendas de faixas musicais em serviços como iTunes estavam fadadas a não durar muito tempo, e talvez 2009 seja marcado também como o ano em que o iTunes e serviços do gênero começarão a serem trocados por sites como o Deezer. Não será mais necessário baixar músicas. Um celular com conexão 3G já tem hoje acesso a praticamente qualquer música sob demanda por streaming, sem necessidade de download. Esta forma de ouvir músicas específicas sob demanda, com possibilidade de se abrir instantâneamente também rádios de "músicas similares" à escolhida pelo usuário, apresenta vantagens que tornarão o download das faixas e a necessidade de grandes quantidades de memória para música nos dispositivos obsoletas com o tempo.

Um comentário:

alerts disse...

A friend told me this place I have been looking for, I come, it turned out, I have not disappointed, good Blog!
runescape money