Pesquisar este blog

sábado, 7 de março de 2009

Será que finalmente a interface gráfica será utilizada como deveria?

Qual será a receptividade do tablet PC nos dias atuais? O sucesso do iPhone me parece ser um grande indicativo de que é promissora.

Tablet PC é uma espécie de promessa de muitos anos atrás. Na verdade desde que as interfaces gráficas existem que existe essa idéia, mas nunca virou realidade de verdade.

Se o Eee no formato tablet -que foi anunciado pela ASUS- conseguir finalmente transitar a maior parte do mercado para este tipo de interface, estará realizando o sonho de muita gente e mais uma vez revolucionando tudo, como fez o Eee PC atual ao introduzir a modalidade "netbook" no mercado.

Pra mim sempre foi algo muito óbvio a interface gráfica ser manipulada por toque.

Quando você só tinha comandos para digitar no modo console, fazia sentido a única interface ser o teclado.

Mas o mouse eu sempre achei algo extremamente esquisito. Uma caixinha largada na mesa que você empurra pra lá e pra cá. Na minha cabeça fazia um pouco mais de sentido até mesmo as mesas digitalizadoras, com uma caneta sobre uma prancheta.

Mas mais sentido ainda faz pressionar de verdade os botões que aparecem nas interfaces gráficas. O que poderia ser mais lógico do que ver um botão em 3D escrito OK e pressioná-lo com o dedo?

Sempre tive essa impressão, mas mesmo assim o tablet PC nunca "pegou".

Eu mesmo nunca comprei por causa simplesmente do preço, mas quem sabe será desta vez?

O mesmo vale para o livro eletrônico. Não dá para se pensar em revolucionar o mercado com um dispositivo como o Amazon Kindle custando mais de 300 dólares por algo que não faz mais do que ler textos. Da mesma forma não se pode continuar cobrando a mais só porque a tela tem uma interface com o usuário diferente do mouse. Neste momento todos sabem que uma tela sensível ao toque é um tanto barata, pois pode ser comprada em separado por preços acessíveis. Não pode a ASUS querer cobrar a mais só por causa disso, sob pena de continuarmos sem ver acontecer essa revolução, no meu ver um tanto óbvia.

E que aposentemos finalmente essa caixinha esquisita!

Nenhum comentário: