Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Windows ainda será gratuito

Isso é apenas uma profecia minha, não uma notícia. O que ocorre é que a computação em nuvem vai tornar o sistema operacional irrelevante, o que dará uma oportunidade sem precedentes para o Linux se tornar mais utilizado. Diante desta inevitável irrelevância do sistema operacional, eu considero quase certo que a Microsoft, até pelo que se conhece das práticas dela por exemplo em relação às versões "express" de alguns de seus softwares, acabe lançando em algum momento uma versão gratuita do Windows, para atuar apenas como "camada" entre o PC e a nuvem em máquinas cliente, mas que irá também rodar o legado de softwares para Windows stand-alone.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Primeiras impressões com o Google Wave

Neste screencast, a primeira "wave" que abri, adicionando participantes da comunidade do Google Wave no Orkut.

No momento em que escrevo este texto o GoogleWave está aberto numa das abas do Firefox, e volta e meia o cursor do Blogger dá uma travadinha. Culpa de quem? Dele mesmo. O Wave é um baita comedor de recursos do PC. Também pudera... uma aplicação Web que atualiza um montão de coisas ao vivo com AJAX puro sem componentes acaba acontecendo isso, principalmente porque a verdade é que até hoje não fizeram um browser com capacidade decente de rodar aplicações de verdade. Um exemplo disso que eu cito muito é o fato de o Google Docs ainda não imprimir WYSIWYG, outro é o fato de não se poder, sem componentes, arrastar um arquivo do gerenciador do sistema operacional para dentro do browser, e ficar até hoje dependendo do rudimentar campo de upload de formulários HTML. Como venho alertando faz tempo, se continuar assim daqui a pouco o mundo das aplicações na Web será realmente dominado por componentes Flash ou Silverlight, quando esse poder poderia estar todo no próprio browser. É nessa hora que eu costumo dizer que a Google tem sido meio incompetente, pois ela é a maior interessada em fazer com que isso aconteça, mas o Chrome ainda não tem nem sequer possibilidade de uso de extensões em sua release atual.

Outra coisa que senti é que o Wave ainda tem que comer um bom arroz com feijão. A versão atual é bem mais preliminar do que eu imaginava, prática que a Microsoft por exemplo não costuma cometer. As versões preliminares para desenvolvedores de softwares da Microsoft geralmente já nascem bem completas. Isso dá um certo ar de amadorismo para uma empresa do porte da Google.

Mas será que dá pra "substituir o e-mail"? Parece ser extremamente difícil, claro, mas não é uma hipótese descartável. Provavelmente muita gente não vai substituir, mas talvez muitos outros o façam. O que eu imagino que vai ser "matador" será se a Google integrar e-mail dentro do Wave, fazendo com que e-mails normais enviados para "usuário@googlewave.com" caiam na caixa de entrada do Google Wave, algo que ainda não acontece. O usuário com Google Wave poderia ver as mensagens vindas de e-mails normais no mesmo formato que vê as mensagens das waves, com a mesma estrutura em árvore, não vejo impedimentos para isso.

As vantagens são realmente grandiosas. Vejo uma wave do Google Wave como um "centro de compartilhamento de coisas", aonde é possível enviar mensagens instantâneas que ao mesmo tempo podem ser lidas "mais tarde", e essas mensagens podem conter qualquer outro tipo de interatividade que a Web possibilita através das extensões do Google Wave, como enquetes, marcações em mapas, jogos, vídeos e fotos embutidos com facilidade.

O Google Wave, com algumas relativamente pequenas modificações sobre a versão atual, tem sim o potencial para substituir, ao menos para grande parte das pessoas, não só e-mail como também mensageiros instantâneos, chats, redes sociais, foruns, grupos de discussão, e até Twitter!

Na parte de mensagem instantânea, cheguei a ver 3 ou 4 usuários digitando ao mesmo tempo, enquanto digitavam. Essa possibilidade que havia no ICQ faz falta, e os MSNs da vida vão acabar ficando para trás se não trouxerem ela de volta. Amplia o poder já grande da conversação instantânea textual, pois na metade da digitação do interlocutor você já pode ir pensando e até escrevendo a resposta, como é possível fazer em conversas por voz, mas com as vantagens que só a conversa por texto proporciona, e somando-se também o fato de as conversas no Wave serem muito mais organizadas, com sua estrutura em árvore, do que conversas em chats comuns. E o melhor: se por acaso a outra pessoa sair, ela poderá ler depois, como no e-mail.

Digo que substitui também redes sociais pois cada wave é como se fosse um tópico de uma comunidade do Orkut, mas com as inúmeras vantagens que o Google Wave proporciona. Só o que falta para substituir redes sociais e grupos de discussão é a possibilidade de se criar de fato grupos de discussão. O Google Wave atualmente permite apenas que se crie uma wave pública, que pode ser encontrada através de seu search. Mas o que precisa mesmo é de se poder criar grupos que contenham várias waves, todas elas acessíveis a participantes pré-definidos, participantes do grupo em questão. Muito provavelmente estes devem ser exatamente os planos da Google.

Quanto ao Twitter, é interessante notar que o search por waves públicas do Google Wave trás resultados que se atualizam ao vivo, como em buscas do Twitter. Basta a Google adicionar a possibilidade de "seguir" waves públicas de um determinado usuário que o Google Wave se torna realmente um concorrente de peso para o Twitter.

Portanto, minha impressão é realmente positiva (quanto ao potencial do produto, embora esse potencial seja sob outro ângulo o de monopolizar muita coisa), e se não substituir todas essas coisas para todas as pessoas, acredito que isso vai ao menos acontecer para muita gente, provavelmente inclusive eu. E todo o restante que não aderir a essa "Google Onda" vai ser obrigado a vê-lo em suas telas aqui e ali, embutido em e-mails ou páginas web.

domingo, 11 de outubro de 2009

Minha aplicação agora tem um nome

Um tanto narcisista, mas tem. Acho que a coisa mais difícil no desenvolvimento foi escolher um nome pra aplicação heheh...

Eis um screencast atualizado com as evoluções mais recentes... Coloque em fullscreen