Pesquisar este blog

domingo, 12 de dezembro de 2010

Porque o Second life é diferente de qualquer outra coisa no PC

O Second Life é o único software de computador que eu conheço que de fato proporciona "experiências memoráveis" sem se ter que sair da frente do computador.

Um bate papo textual, por exemplo, exige que dali surja um encontro fora do bate-papo para que haja chance de acontecer alguma experiência memorável.

Um jogo normal por sua vez é um tanto repetitivo, e por esse motivo também não proporciona experiências únicas.

Shows musicais, a construção de um objeto, a contemplação até profunda de diferentes ambientes com diferentes sons a cada momento, e com diferentes pessoas e suas personalidades, inclusive de vestuário e gestos. No Second Life se conhece muitas tendências de "tribos" que jamais se conheceria fora dali, se descobre que se gostava de certas coisas mas não se sabia o nome, descobre-se que havia um nome, e se conhece tudo mais que rodeia e se identifica com aquela tendência. É uma experiência cultural muito mais rica do que uma busca no Google seria capaz de proporcionar.

Eu relatei aqui no blog por exemplo a minha primeira experiência no Second Life faz um tempo. Foi algo até hoje único. É algo que dá para contar e que dá para se tornar inesquecível, diferente de outros serviços que não tem muito a ser contado. Eu tenho costume de praticar fotografia virtual no Second Life e gosto de rever as fotos para recordar experiências dentro do mundo virtual. De jogos normais como o Counter Strike, por exemplo, restam mais as lembranças de acontecimentos paralelos ao jogo em si, como as ocasiões em que joguei em lan-houses com amigos, por exemplo. Já no Second Life basta ele próprio, que já provê um sem número de lembranças por si só.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Retrospectiva 2010 e previões para 2011

Para entender melhor este post, leia as previsões que fiz em 2009 para 2010: http://mugnatto.blogspot.com/2009/12/retrospectiva-2009-e-previsoes-para.html

Pois bem, parece que de fato tudo que era pra acontecer em 2009 e não aconteceu por causa da crise mundial agora em 2010 foi recuperado.

O Second Life ficou realmente estagnado por muito tempo mas agora no final de 2010 muitas luzes surgiram no fim do túnel e renovo profundas esperanças quanto a ele para 2011. São duas revoluções já em testes. A importação Mesh, que importa modelos 3D direto de softwares de CAD é simplesmente impressionante para quem já usa o Second Life há um bom tempo. Consegue-se, com melhor performance, um incrível nível de detalhamento nos mais diversos objetos. Já a integração do Second Life com o serviço de jogos por streaming Gaikai é algo que já prevejo há tempos como solução para a maioria dos problemas do Second Life. Se fizerem da forma correta permitirá o uso do Second Life até em dispositivos como celulares com todos os recursos gráficos ligados, e tudo via Web browser, o que tornará bem mais fácil as pessoas se interessarem por usar o mundo virtual. Acredito que muitas dessas mudanças só vieram por força de uma concorrência que, pasmem para alguns, tem surgido entre os mundos virtuais. Ocorre que eu ainda aposto num futuro muito promissor para mundos virtuais, e se não acontecer com o Second Life, será com outro produto.

Os sistemas operacionais "splashtop" continuam sendo falados aqui e ali, mas ainda não marcaram uma presença significativa. Na verdade acredito agora que é tarde para sistemas splashtop em PCs como o ChromeOS. Estou acreditando bem mais em plataformas não-PC como iOS e Android.

Os tablets enfim se tornaram realidade em 2010 sem dúvida nenhuma, graças sempre a ela, a Apple, a empresa há muito a mais capaz de tornar idéias inovadoras em realidade comercial. Nos EUA as vendas explodem, não só do iPad como também do Galaxy Tab, e no Brasil ao menos a palavra "tablet" já faz parte do dia-a-dia, e em 2011 as vendas deverão explodir por aqui também. O curioso é que, sem querer, eu acertei no nome do "sistema operacional do futuro" nas minhas previsões feitas em 2002, que também podem ser lidas neste blog: iOS.

Um "Youtube live" ainda não aconteceu, e mantenho como previsão para 2011.

A "guerra de plataformas para web" foi, modéstia a parte, ótima previsão para 2010. É só o que aconteceu. A guerra foi declarada por Steve Jobs em sua carta explicando o porque de não dar suporte ao Flash no iPad. Essa guerra entre HTML 5, Flash, e outros, está em pleno curso e ainda não há decisão de um vencedor, mas acho que a tendencia maior é sempre ao recurso nativo e até mesmo a Adobe já está tentando colocar o seu pézinho no terreno do HTML 5.

Quanto aos projetores de imagem em celulares, pode ser que ainda venham a se popularizar, mas acho que com os tablets as pessoas quando quiserem telas maiores tendem a utilizá-los nestes casos, ao invés do celular.

A revolução do ebook aconteceu. Já parece incrível que até o fim de 2009 a idéia de livro eletrônico ainda era algo "ridículo" para a maioria das pessoas. Esse foi mais um paradigma quebrado pelo grande Steve Jobs em 2010, também através de seu iPad. Foi Jobs que tornou essa idéia de livro eletrônico mais aceitável para as pessoas. Falta agora se popularizar de verdade, mas ninguém acha livro eletrônico algo "absurdo" mais.

Parece que o iTunes ainda não se reinventou como sugeri, mas ainda há muitos indícios de que o próximo grande anúncio da Apple em relação ao serviço provavelmente será a música por streaming, demore o quanto demorar.

Seguem mais alguns palpites sobre 2011 (sujeito a adição de mais palpites até o fim de dezembro):
  • O StreetView do Google Maps ou Earth mostrará bonequinhos representando as outras pessoas que estão "passeando" próximas ao usuário, permitindo chat com elas.
  • Os tablets de sucesso serão os não-PC, e começará um sentimento de que PC é "coisa ultrapassada" (também graças ao Jobs).
  • Serviços de jogos por streaming serão um sucesso cada vez maior.
  • Surgirão mais ambientes de desenvolvimento de software via Web. Talvez a Microsoft entre na onda com um Visual Studio via Web.
  • Vídeos 360° deverão ganhar alguma popularidade e talvez o Google Maps entre na onda de alguma forma.
  • Talvez o capacete de realidade virtual ou head mounted display dê algumas caras em 2011. Ainda acho que ele é promissor para o futuro, mais que o atual 3D com óculos 3D.
  • Adicionado 10/12/2010: Uma previsão que faço há muito tempo ( http://mugnatto.blogspot.com/2003/09/vamos-l.html ) é música se tornar gratuita, o iTunes declinar, e a música por streaming ultrapassar a por download. Ainda mais após ver as estatísticas de 2010 de pesquisa no Google ( http://www.google.com/intl/pt-BR/press/zeitgeist2010/ ) outra aposta que faço para 2011 é no início desse declínio do iTunes em favor de serviços como o Grooveshark, de streaming, e gratuitos. As novas gerações não vão ver o menor sentido em pagar por música gravada que se troca entre amigos, se ouve de fundo em sites da Internet, é tão cada vez mais "volátil". Isso também acaba reforçando a necessidade do iTunes se reinventar em 2011.
  • Adicionado em 11/12/2010: O uso do Chrome está crescendo vertiginosamente e o Firefox por sua vez vem perdendo fôlego. Não é difícil entender. A Google está muito mais antenada com as tendências de computação em nuvem, se mostra mais dinâmica, além do poder de fogo de uma empresa muito maior. Em 2011 se o Chrome não ultrapassar o Firefox, irá provavelmente ao menos empatar.
  • Adicionado em 11/12/2010: 2011 será também um ano de guerra entre "apps" web e apps "offline". De um lado Android e Chrome com suas web apps e de outro o iOS e a tendência por enquanto maior da Apple de apps "baixáveis". A maioria das boas aplicações para iOS já necessita de qualquer forma de conexão para funcionar, então acho que é só questão de tempo para não se ver mais muito sentido em apps que se tenha que baixar.
  • Adicionado em 19/12/2010: Em 2011 o e-mail deverá se tornar mais interativo. A Google já planeja re-lançar tecnologias do extinto Google Wave em seus serviços. Provavelmente haverá uma integração especial com o GMail, tornando o produto ainda mais único em sua categoria (clientes de e-mail) e fazendo o GMail mais "mandatório" do que nunca. Cada vez mais pessoas esperam que o outro lado da comunicação também utilize GMail...

domingo, 28 de novembro de 2010

Second Life não é mais "gráfico de joguinho antigo"

Os mais novos avanços incluem sombras, reflexos, importação de objetos direto de CAD muito mais complexos, efeito de foco... E o melhor é que faz isso tudo com GANHO de performance, pois esses objetos importados de CAD consomem em geral apenas 1 "prim".

Abaixo "fotos" que eu tirei no "grid" de testes da versão beta. Clique nas imagens.





quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Mais duas fotos da fonte selecionadas

Fotografia tem essa coisa de "revisitar os resultados" no dia seguinte para "sentir melhor" o que ficou bom, pois na "primeira vista" a gente tem sempre um tendencialismo quanto ao que a gente esperava em contraste com o que realmente saiu, mas, olhando de novo hoje, acabei gostando dessas duas também.



domingo, 7 de novembro de 2010

sábado, 25 de setembro de 2010

Quebra-cabeças

Amei esse site de quebra-cabeça, pela interface super bem desenhada, e transformei algumas das minhas fotos.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Ferramentas em nuvem que eu tenho utilizado profissionalmente

Atualmente eu trabalho com desenvolvimento de sistemas como autônomo, e portanto não tenho local de trabalho fixo. Diante disso uma coisa que tem me ajudado "horrores" é a computação em nuvem. Seja no netbook que levo para as reuniões ou no meu desktop, ou mesmo em um outro computador, tenho acesso a tudo o que eu preciso em qualquer lugar. Resolvi compartilhar neste post os meus segredinhos que eu tanto gosto, na listagem de aplicações que se segue.


Meu canal de comunicação com os clientes predileto. Crio filtros para que todos os e-mails de cada projeto caiam no "label" respectivo. Sempre amei o fato do Gmail agrupar todos os e-mails com mesmo assunto, organizando um verdadeiro histórico de interações de fácil consulta.


Imprescindível. Sempre foi minha agenda pessoal, e agora é também a profissional. É a minha memória auxiliar. Todas as idéias que vou tendo eu vou adicionando ao Google Calendar. Os clientes podem ficar sossegados porque eu nunca esqueço algo novo que surgiu em alguma troca de idéias graças ao Google Calendar.


Quando a funcionalidade é mais complexa sinto a necessidade de primeiro mostrar ao cliente a idéia de interface que eu tive, e nada melhor que este aplicativo para desenhar esboços de telas de sistemas, que já vem com os ícones dos controles mais usados para arrastar e soltar em cima do desenho, inclusive tabelas. Facílimo de usar e super intuitivo, mais um que fica na nuvem permitindo acessar de qualquer lugar.


Meus modelos de documentos e propostas estão todos no Google Docs, prontos para serem impressos ou compartilhados quando e aonde for necessário. Além disso estão lá também as documentações que eu uso para me organizar, como por exemplo os padrões que eu adoto no desenvolvimento dos meus sistemas.


Não tenho mais Office em minhas máquinas. Quando a situação exige compatibilidade com o Office da Microsoft, uso as aplicações oficiais da empresa na Web. Tem inclusive o PowerPoint para ver e até criar, e, o melhor, compartilhar online, algumas apresentações.


Quando preciso converter documentos, até Docx para alguma versão anterior do Word, por exemplo, o Zamzar não tem me decepcionado.


Tenho feito screencasts mais para demonstrar meu trabalho para possíveis clientes. Basta compartilhar o link e pronto, apresentações de sistemas e interfaces rolam Internet a fora.


Esse é meu amigão. É o software que mais ajuda a organizar o desenvolvimento dos meus projetos. Nas reuniões é simplesmente a melhor forma de fazer anotações. Nunca mais quis saber do papel. E além disso eu sempre pego depois as anotações que fiz em um "mindmap de reunião" e coloco no "mindmap geral" do projeto, de forma sintetizada, e ligando e reorganizando os "galhos" previamente existentes. Este mindmap geral do projeto eu disponibilizo para o cliente na web, sempre atualizado ao vivo com o status de cada funcionalidade. Uso vários ícones para indicar por exemplo quando uma funcionalidade foi concluída, qual o impacto em prazo e preço daquela funcionalidade, se é uma funcionalidade adicionada recentemente, se é um ponto em que tenho alguma dúvida, etc.


Quem é programador sabe que programar se dá em momentos de grande inspiração. Não é toda hora que isso acontece. São momentos. Mas são longos momentos. Muitas vezes você começa e não consegue mais parar, pois sabe que se perder o "fio da meada" fica muito mais difícil voltar depois. É por isso que eu costumo dizer que a rede Giraffas muitas vezes "salva minha vida" na hora que bate aquela fome. As refeições (quase nunca peço sanduíche) são maravilhosas, e o serviço de delivery deles aceita cartões de crédito e débito, e o melhor: dá pra fazer o pedido com cliques do mouse através do site deles. E funciona mesmo, não tem nem telefonema depois pra "confirmar o seu pedido".

terça-feira, 4 de maio de 2010

Minha pequena coleção de antiguidades da tecnologia

Dei uma organizadinha na minha modesta coleção de coisas que eu tive na época em que eu estava começando a alimentar meu gosto por tecnologia.

Clique na imagem para ampliar. Em cima livros dos anos 80. Esses à esquerda são bem ilustrados e boa parte deles pode ser vista online aqui.

No meio está um CP200, o primeiro computador que eu tive. Não fazia 1/10 do que faz o seu celular, mesmo que seja dos atuais mais simples... Não tinha cores, nem som, mas era possível programar e "modificar a imagem da televisão". Imagine o que era isso numa época em que pouquíssima gente sequer tinha videocassete em casa...

Atrás do CP200 estão fitas cassete com jogos para o TK90x, o segundo computador que eu tive, e que adicionou cores e sons, e foi uma das minhas maiores paixões de todos os tempos.

Embaixo, qualquer um reconhecerá o joystick de Atari, e como este tem o círculo laranja, se nota que é um original norte-americano. Temos também um disquete com o clássico jogo "Lemmings" original e um cartucho de Atari atrás, além de um manual original de uma antiga versão do Microsoft Flight Simulator.

A câmera prateada foi a minha primeira câmera digital. Comprada em 2001 de muambeiro do tipo que levava 30 dias pra trazer, foi certamente uma das primeiras câmeras digitais que a cidade de Brasília viu. Quando eu saía para tirar fotos eu notava pessoas por perto perguntando umas às outras "isso é câmera de vídeo? Como pode tão pequena?", já que câmeras com visores LCD naquela época eram normalmente de vídeo, e eram sempre maiores que uma câmera fotográfica. Só depois de um bom tempo é que começaram a surgir as Sony Mavica, que passaram a serem mais corriqueiras.

À direta está mais um "brinquedo de early adopter". O segundo player de MP3 do tipo "jukebox" (termo em desuso, já que todos os players hoje em dia tem relativamente alta capacidade de armazenamento) que existiu no planeta, o Creative Nomad Jukebox, que eu comprei tempos antes do lançamento do primeiro iPod da Apple. Na época os players portáteis mais costumeiros ainda eram os de CD, e talvez por isso a Creative tenha imaginado que manter um formato com o qual as pessoas estavam acostumadas seria mais vendável...

sábado, 1 de maio de 2010

A morte do PC

Há um bom tempo atrás eu notei a caminhada rumo ao "emagrecimento do PC", antes mesmo do lançamento dos netbooks. Eu só não imaginava era que seria muito mais que um emagrecimento. Foi difícil para eu cair na real... Afinal uma paixão de tão longa data... Mas eis a verdade... O PC está com os dias contados.

No mundo da computação em nuvem e do formato tablet, não há mais espaço para "bloated" software e nem "bloated" hardware. Simplesmente essa "volta do mainframe" possibilitou um cliente dedicado à extrema facilidade de uso e portabilidade. Não há mais razões para o usuário cliente ficar tendo que lidar com milhares de arquivos em centenas de pastas e subpastas, e com configurações intermináveis de todos os tipos. Chegou a hora do computador servir para pessoas comuns. Elas há muito que já são a maioria dos usuários, embora até hoje dependam volta e meia da "ajuda" de algum nerd para simplesmente manterem seus PCs.

E mesmo o desenvolvimento de software dentro de alguns anos será todo realizado através de computação em nuvem. Não vejo como não ser assim. No futuro os próprios hospedeiros de sites vão fornecer, via Web, o ambiente de desenvolvimento, com controle de versionamento e publicação instantânea. Um gostinho disso já pode ser sentido em http://www.coderun.com/ide, e também no ambiente de desenvolvimento da Palm, em http://ares.palm.com/Ares/about.html.

Não acho que o iPad atual seja uma boa opção para essa transição. Falta no mínimo uma saída de vídeo decente, que possibilite ligá-lo a uma tela grande. Mas certamente Jobs foi revolucionário mais uma vez, dando o ponta-pé inicial naquilo que será nada mais nada menos que o fim do lendário PC.

Nascido graças à impossibilidade de se utilizar mainframes de dentro de casa, o PC durante muito tempo cresceu sem parar, em processador, em capacidade de armazenamento, exponencialmente, mas nos últimos anos essas exigências não pararam mais de diminuir graças à migração para a computação em nuvem, que finalmente possibilitou a entrada do modelo "mainframe" nos nossos lares. E o PC vem diminuindo tanto que me parece fadado ao desaparecimento.

Ao que tudo indica o sistema que irá substituir o PC em seu posto atual será o processador ARM com Android, enquanto o iPhone OS acabará substituindo o Macintosh para seus atuais usuários. Minha aposta é que a Apple continuará minoritária, embora firme e forte, mas minoritária porque continua sendo uma empresa extremamente fechada, enquanto o Android está sendo desenvolvido e suportado por uma ampla gama de diferentes fabricantes.

É... confesso que eu não gostei muito do iPad inicialmente, e de fato ele precisa ser melhorado, mas devo reconhecer que é muito grande a probabilidade de ele ser lembrado para sempre como um divisor de águas...

terça-feira, 20 de abril de 2010

Minha foto na Rodoviária de Brasília

Mais um lugar que aprecia a minha foto da ponte JK e que eu nem sabia... desta vez na Rodoviária de Brasília. Se não me engano a responsabilidade por esta decoração comum a todas as lojas da Rodoviária é do GDF, Governo do Distrito Federal.



sábado, 13 de fevereiro de 2010

Mas... é a minha foto!

Estava eu passeando pela cidade quando vi uma imagem bem familiar para mim. A foto que tirei anos atrás da Ponte JK. Diga-se de passagem por acaso essa foto já venceu um pequeno concurso, já vendeu direito de uso em um evento, e já teve a honra de um contato via e-mail do designer da ponte Alexandre Chan.

Não. Não me pediram permissão, e;

Não. Não me importo de utilizarem a versão que eu disponibilizo na Internet, em 1024x768 (a original tem 3 vezes mais resolução), embora eu prefira que ao menos me peçam permissão antes, e embora eu costume também pedir que coloquem créditos em algum lugar.

De qualquer forma tem o lado bom de ver minha foto sendo apreciada de diferentes formas pelas pessoas. É algo como se eu tivesse feito uma música e percebesse de surpresa gente na rua a ouvindo e apreciando...



segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Minhas reações ao iPad no Twitter, a partir do dia do lançamento

Só para registrar...

Pergunta que não quer calar: Apple Tablet é PC ou não é PC (MacOS ou iPhone OS)? Resposta daqui a pouco...
3:00 PM Jan 27th from Chrowety

A cara do Apple Tablet é finalmente revelada e é exatamente um iPhone grandão http://goo.gl/b7Ij
3:11 PM Jan 27th from Chrowety

Ao que tudo indica o iPad não é um PC,não roda MacOS, o que é uma grande decepção para mim.
3:26 PM Jan 27th from Chrowety

Acho que os melhores lançamentos ainda são portanto os netbook tablets, como o Eee PC T91
3:27 PM Jan 27th from Chrowety

Provavelmente o iPad não vai, por exemplo, rodar aplicações em Flex.
3:30 PM Jan 27th from Chrowety

10 horas de bateria para um não-PC não é grandes coisas... #iPad
3:46 PM Jan 27th from Chrowety

Pelas telas que estou vendo os jogos tão mais pra iPhone mesmo, não para PC... #iPad #decepção Um Eee T91 faz muito mais e é MENOR e barato
3:54 PM Jan 27th from Chrowety

Tão agora comparando com Kindle. Esquecem de dizer que o iPad é uma "lanterna ligada na sua cara", equanto o Kindle usa tecnologia e-Ink
3:56 PM Jan 27th from Chrowety

Ler livros no iPad = 10 horas de bateria. Ler livros no Kindle = semanas de bateria. Infelizmente muitos ainda não entenderam o q é um ebook
4:03 PM Jan 27th from Chrowety

O iPad básico não tem 3G. Ridídulo! 3G é mandatório né Steve...
4:14 PM Jan 27th from Chrowety

500 dólares por um "PDA grande" sem 3G. Sinceramente cotinuo preferindo um Eee T91 *PC*
4:21 PM Jan 27th from Chrowety

Espero que o PDA grande da Apple pelo menos sirva para baixar preços dos e-readers de verdade e para manter os netbook tablets nas 9 pol.
4:28 PM Jan 27th from Chrowety

Se o ditado "mentira tem perna curta" for verdadeiro, o iPad não deverá fazer muito sucesso. Iphone foi algo REAL, iPad é uma big mentira...
4:49 PM Jan 27th from Chrowety

E meu sonho de ver um Mac-Tablet não foi realizado...
5:01 PM Jan 27th from Chrowety

Para quem QUER entender as diferenças entre e-reader, celulares e tablets: http://goo.gl/UAc5
5:27 PM Jan 27th from Chrowety

Compre um Eee PC T91 MT (multitouch) e faça seu amigo com "PDA grande da Apple" morrer de inveja! #iPad
5:36 PM Jan 27th from Chrowety

Bom, pelo menos o iPad vai servir para baixar preços de e-readers de verdade e para difundir o gosto por Tablets de verdade.
6:06 PM Jan 27th from Chrowety

A Apple já devia ter aprendido faz tempo... http://en.wikipedia.org/wiki/MessagePad #fail
6:23 PM Jan 27th from Chrowety

Mas repito: com o iPad pelo menos as pessoas já estão percebendo o valor do netbook, do e-reader e do tablet PC... digo, dos "de verdade"...
8:48 PM Jan 27th from Chrowety

Muita gente até hoje simplesmente não tinha percebido esse valor... A Apple ao menos faz as pessoas "pensarem diferente"
8:49 PM Jan 27th from Chrowety

Tava pensando...O lançamento do iPad abre caminho para um maior sucesso para o Chrome OS. O tido como "fracote" é muito mais forte q o iPad.
10:52 AM Jan 28th from Chrowety

Chrome OS ao menos é MULTITAREFA. Cada aba é um processo independente no browser da Google... A Google pode usar isso a seu favor...
10:54 AM Jan 28th from Chrowety

A não ser que a burrice tome conta da Google e ela resolva lançar um Gpad com Android. Putz... Aí vou ficar P da vida...
10:57 AM Jan 28th from Chrowety

Eu fui um dos primeiros profetas do "emagrecimento do PC", mas tudo tem um limite né po...
10:57 AM Jan 28th from Chrowety

iPad fez pessoas finalmente gostarem da IDÉIA q JÁ ERA do netbook.Como o iPad é uma bosta,prevejo o netbook fazendo mais sucesso do q nunca!
7:33 PM Jan 28th from Chrowety

Algo que não vi ninguém levantando ainda, mas qual a viabilidade de ler publicações com editoração complexa em 1024x768 pontos?
6:27 PM Jan 31st from Chrowety

O Kindle DX tem 1200x824, e as publicações são especiais para ele. Apenas não dá pra esperar tão grandes coisas no iPad como e-reader...
6:29 PM Jan 31st from Chrowety

Concluindo: Se a editoração for igual a de revistas comuns, vai precisar de muito zoom no iPad, o que foge da proposta de "e-reader".
6:34 PM Jan 31st from Chrowety

Aposto num"relativo"fracasso do iPad.Claro q fã-boys compram,mas me convenci q comparado a iPhone vai fracassar por isso: http://goo.gl/kERN
1:25 AM Feb 2nd from Chrowety

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Google lança "versão estável" de navegador Chrome com extensões e sincronização de favoritos

Só posso dizer que to usando o beta faz tempo e amando. Já troquei o Firefox faz tempo pois estava ficando muito lerdo. As extensões para Chrome já estão amadurecendo e já tem praticamente toda a funcionalidade que eu tinha no Firefox, e algumas que eu não tinha. O Chrome é inclusive o navegador de roda mais tranquilo e veloz no meu netbook Eee PC. Definitivamente o melhor na minha opinião.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Todas as montagens juntas

Comecei a fazer essas montagens no Photoshop e não parei mais. A primeira é a original, para comparações.






domingo, 10 de janeiro de 2010

Porque celular, tablet e e-readers não podem ser confundidos

A CES de 2010 trouxe tudo de uma vez. Tudo que deveria ter sido lançado em 2009 mas não foi devido à crise. E pelo jeito a salada de novos dispositivos está gerando uma certa confusão na mídia, que os citam como se fossem semelhantes.

MAS NÃO SÃO!

Um tablet jamais poderá ser confundido com um e-reader, pois emite luz. Isso cansa a vista e gasta muito mais bateria. Um e-reader de verdade tem um display que causa uma modificação física em cada pixel. Partículas pretas sobem e descem para formar as letras. Com isso se tem algo muito mais próximo de textos escritos em papel, além de gastar muito menos energia. Enquanto a bateria de um tablet dura umas 4 ou 5 horas, a de um e-reader pode durar semanas, e, cá entre nós, ninguém merece ficar se preocupando com bateria para ler um livro né... O motivo é que um e-reader só gasta bateria quando troca a página. A imagem na tela permanece visível mesmo se você tirar a bateria do dispositivo. Ela necessita de iluminação externa assim como uma folha de papel, sendo bem mais tranquila para os olhos.

E como chegam ao abuso de comparar tablets a celulares? Com um celular você roda GTA e MS Office completo? Não. Com um celular você roda aplicativos Web em Flex? Não. Com celular você pluga e faz funcionar dispositivos USB de PC? Não. E um tablet, você põe no bolso? Não. E o pior: você por acaso faz e recebe chamadas sem software de voip (o que exigiria também deixar o PC ligado e gastando bateria a rodo) com um tablet? Não. Portanto o que teria a ver tablet com celular? NADA!

Outras coisas para se tomar cuidado: Um "netbook" com processador ARM não é um netbook, mas sim um PDA disfarçado de netbook. Eles são bem mais baratos que netbooks propriamente ditos, mas tem exatamente as mesmas limitações dos celulares como apontei acima, somado ao fato de não caberem no bolso. Mesmo rodando Ubunto eles não rodam dispositivos USB de PC (à exceção do pendrive) e nem aplicações Flex, muito menos jogos mais robustos.

Outra "pegadinha" que tem surgido por aí são os porta-retratos digitais vendidos como "e-readers". Porque eu chamo de "porta-retratos"? Porque eles não tem tela e-ink. São meras telas LCD luminosas que gastam muita bateria e não fazem nada mais que exibir imagens sem grandes interatividades.

Ah, e a tal da "TV-LED" é na verdade uma televisão de LCD apenas com backlight de LED, o que possibilita que ela seja mais fina e tenha melhor contraste, mas jamais se deve confundir essas TVs com TVs de OLED. A TV-OLED, essa sim, dispensa backlight, pois cada pixel é formado por LEDs, possibilitando uma imagem ainda mais contrastada e que, ao contrário do LCD, pode ser visualizada em plenitude de todos os ângulos, mas custa verdadeiras fortunas.

Enfim, tá na hora desse pessoal da imprensa se atualizar!